Pesquisar este blog

31 março 2013

Marcadores: ,

Entrevista - Amor e bipolaridade: como se relacionar diante do transtorno (Marcia Kauer Sant’Anna)

Compartilhar

Entre a mania e a depressão
Recorte do cartaz de "O lado bom da vida" (2012)

Enviar por WhatsApp

Intensa alegria intercalada com intensa tristeza. Caso se considere a definição de Aristóteles, poderia até se estar falando da paixão, mas o tema aqui é mais sério. Trata-se da bipolaridade, transtorno que, de acordo com a Associação Brasileira de Transtorno Bipolar, atinge 4,2 milhões de brasileiros e está entre as principais causas de suicídio. Mas se o próprio filósofo grego já alertava para as alterações dos sentidos promovidas pela paixão em quem não sofre de nenhum transtorno mental, como é para um bipolar vivenciar um relacionamento amoroso? "As crises podem trazer um desgaste para a relação que, com o tempo, pode levar o casal a se afastar", alerta a psiquiatra, professora e pesquisadora do transtorno na Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Marcia Kauer Sant’Anna. Nesta entrevista, Marcia* fala sobre como os bipolares, e quem se relaciona com eles, podem ter relações afetivas mais saudáveis.

Em que consiste a bipolaridade?
M: O Transtorno de Humor Bipolar é um transtorno psiquiátrico que se caracteriza por grandes oscilações do humor. As variações costumam ocorrer entre dois polos: a mania (período de humor persistentemente elevado, expansivo ou irritável), e a depressão (período de humor predominantemente deprimido). Dados estatísticos indicam que, aproximadamente, uma em cada 100 pessoas no mundo pode apresentar a doença. Como várias outras doenças crônicas, o Transtorno Bipolar tem tratamento, e é possível ser controlado.
Não há razão para acreditarmos que a bipolaridade por si só altere a essência do sentimento ou a capacidade de formar vínculos"

No dia-a-dia grande parte das pessoas mudam de humor devido às situações que vivenciam, tristezas, alegrias, irritações etc. Como diferenciar pessoas intensas no que vivenciam de bipolaridade?
M: Este diagnóstico é feito por psiquiatras através de uma avaliação clínica. Basicamente consiste na avaliação do comportamento do indivíduo ao longo da vida, analisando as variações do humor e o ambiente. Diferente do que muita gente pensa, o transtorno bipolar não se caracteriza por mudanças repentinas de humor ao longo do dia, mas sim pela vivência de episódios de humor de duração de cerca de alguns dias e até semanas. A análise do psiquiatra é capaz de discernir entre a variação normal daquela patológica, que põe em risco o paciente ou seus familiares, levando em conta a gravidade,  a duração e repercussões dos sintomas no contexto de cada paciente.

Recorte do cartaz de "O lado bom da vida" (2012)

Entendendo o amor em duas dimensões, como um sentimento pelo outro e também como um relacionamento pelo outro, o sentimento de amor de alguém bipolar pelo outro é diferente em relação ao sentimento de alguém não bipolar?
M: O amor é um sentimento bastante complexo que varia muito de pessoa para pessoa. Do ponto de vista mais técnico, podemos entender amor como capacidade formar vínculos afetivos. Não há razão para acreditarmos que a doença por si só altere a essência do sentimento ou a capacidade de formar vínculos. O que pode acontecer é uma dificuldade nos relacionamentos a dois e com familiares e amigos durante os episódios, seja pela apatia na depressão, seja pela euforia e irritabilidade, características da mania. Com o controle dos episódios é possível estabelecer relacionamentos saudáveis e levar uma vida normal.
É provável que exista uma dificuldade maior nos relacionamentos durante os episódios, devido à manifestação dos sintomas"

Na dimensão do relacionamento, é mais difícil para um bipolar manter uma relação amorosa se comparado a alguém não bipolar?
M: É provável que exista uma dificuldade maior nos relacionamentos durante os episódios, devido à manifestação dos sintomas. Os episódios podem trazer um desgaste para a relação que, com o tempo, pode levar o casal a se afastar. Isso não significa que seja impossível a manutenção de uma relação amorosa. Simplesmente destaca a importância de se controlar a doença com tratamento adequado, de forma a evitar os episódios agudos de humor e visando estabilizar o paciente.

Recorte do cartaz de "O lado bom da vida" (2012) 

No relacionamento amoroso, o parceiro de alguém bipolar precisa de algum tipo de atenção especial ou conhecimentos para ter e propiciar a quem ama uma vida mais saudável?
M: Quanto mais conhecimento não só o parceiro, como também o próprio paciente e toda sua família, tiverem sobre a doença, melhor. Entender a doença, suas manifestações, e os sinais de que um episódio está se desencadeando é fundamental. Dessa forma o parceiro ajuda no cuidado do paciente e se familiariza com a doença, assumindo um papel de apoio e compreensão. Pode oferecer ainda uma ajuda fundamental:  identificar precocemente sinais de uma crise, evitando que ela ocorra com a busca do tratamento na fase mais inicial.
Com acesso às informações corretas sobre a bipolaridade, o parceiro, a família e os amigos podem auxiliar no equilíbrio emocional do paciente"

Qual o papel da família e dos amigos de um bipolar em relação a ajudar na saúde emocional de um bipolar?
M: O grupo familiar e social de uma pessoa tem uma importância fundamental para o uma vida saudável, incluindo a saúde psíquica. Pacientes compreendidos e apoiados em uma rede social forte têm maiores condições de sair de episódios e evitar sua recorrência se comparados a pacientes com suporte pobre. Da mesma forma que o parceiro, a família e os amigos devem ter acesso às informações corretas sobre a doença, auxiliando no equilíbrio emocional do bipolar e evitando estigma.

Recorte do cartaz de "O lado bom da vida"

Uma relação afetiva e sexual estável pode trazer benefícios à saúde do bipolar?
M: Pode. É importante para o bem-estar de qualquer pessoa relações afetivas estáveis, através de uma relação saudável.
A paixão é marcada por contrastes de amor que parecem beirar o patológico, mas para diferenciar as variações normais de um transtorno é preciso procurar ajuda quando a duração for grande"

Aristóteles dizia que a paixão altera nosso julgamento e nos traz grande alegria e grande tristeza. O amor deixa a todos nós um pouco "bipolares"?
M: Não apenas o amor, mas uma série de eventos na nossa vida pode desencadear sintomas característicos tanto da mania quanto da depressão. A paixão é claramente marcada por esses contrastes no humor que parece beirar o patológico. Para diferenciar essas variações normais e saudáveis daquelas que configuram doença e trazem prejuízo é que existem os critérios para os transtornos mentais, devendo ser procurada a ajuda psiquiátrica sempre que a duração ou gravidade dos sintomas forem exageradas.

*Colaboraram a jornalista e aluna de mestrado do Programa de Pós-Graduação da UFRGS em Ciências Médicas: Psiquiatria Thaís Martini e o aluno de Medicina da UFRGS Ramiro Reckziegel.

48 dos desabafos - DESABAFE!:

  1. Ótima entrevista! Creio que vá ajudar muitas pessoas a entenderem um pouco dessa relação entre o amor e a bipolaridade.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Sem dúvida, muito bem esclarecido o tema abordado... sim é possível, os bipolares também aman... só é um pouco complicado amar um bipolar...;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Fico feliz por ter gostado. Mas amar é quase sempre complicado, não é? ;) Com acompanhamentos médico é possível sim vencer as dificuldades no caso da bipolaridade.

      Excluir
    2. Sim posso dizer por ser um exemplo de ter um ex que é bipolar

      Excluir
  3. Queria saber o porque da dificuldade de amar um bipolar???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como a entrevista relata e alguns dos depoimentos aqui postados, a bipolaridade traz algumas dificuldades, devido ás oscilações de humor e aos episódios extremos. Não é difícil amar, acredito eu, a dificuldade adicional deve ser ao se relacionar. Abraço!

      Excluir
    2. Pq? Pq cada dia que vc acorda tem uma pessoa diferente ao seu lado. Tem dias que, nem sequer trr dado um bom dia, a pessoa já esta explodindo de raiva de vc, nervosa. Tem dia que, sem sequer ter aberto a boca vc é acusada de coisas inimaginaveis! É por isso que é dificil! É viver em uma montanha russo emocional! É ser amada agora e destratada daqui a pouco! É duro demais...

      Excluir
    3. É exatamente o que está acontecendo comigo.

      Excluir
    4. É exatamente o que está acontecendo comigo.

      Excluir
    5. Também estou sofrendo muito com isso. .meu marido eh bipolar. Gostaria muito de compartilhar conselhos . Se quiser me chama no.zap Andrea (11)951491029 meu nome eh Angelica

      Excluir
  4. É muito difícil para muito mim cada crise. Não tem sido nada fácil me controlar,me sinto muito só,incompreendida,gostaria muitas vezes de apenas receber um abraço,sem palavras,não me sentir tão fracassada,incapaz,ajudaria muito no cotidiano. Há dias que eu chego ao topo,me dopo de remédios pra não magoar ninguém. As pessoas notam,queria que não me interpretasse mal,mas não me ferisse com as palavras ,sei que esta situação estressa,Tenho vontade muitas vezes de sumir,para poupar.....por eqto minha opçso tem sido o silêncio e dormir...Eu posso amar,eu amo demais,chego a sufocar com medo de perder,incontrolável....

    ResponderExcluir
  5. Eu gostaria de entender mais deste assunto...

    ResponderExcluir
  6. Eu gostaria de entender mais deste assunto...

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Eu namoro um bipolar, no começo eu achava estranho, o seu comportamento, uma hora ele está soltando gargalhadas no mesmo dia sem ter acontecido nada de ruim, ele está com a cara fechada e começa só dizer coisas (do passado) que o fizeram ficar triste...aí briga comigo...bom no começo tentei terminar com ele mais de dez vezes em um mês... Eu não sabia desta doença... Até que conversei com uma hiper amiga de trabalho e ela comentou que tinha a filha bipolar...e ela me explicou sobre a doença... Hj consigo entendê lo melhor, e não me estresso como antes!
    Oesquisei até sobre alimentação para ajudar a não ter tanta oscilação de humor. Realmente o(a) companheiro (a) ajuda muito no tratamento... Bjs e parabéns pelo matéria gostei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou fazer isso amiga, pois quero ajuda_lo e não deixá_lo..
      Obrigada

      Excluir
    2. Vou fazer isso amiga, pois quero ajuda_lo e não deixá_lo..
      Obrigada

      Excluir
  9. Sou esposa de um bipolar que amo demais... Mas não é fácil ser tratada tão mau...muitas vezes não dá pra engolir calada... Não tenho sangue de barata e é muitas vezes daí também que brigamos, ficamos separados, sou difamada em redes sociais... Como se eu fosse a culpada...muito triste essa doença... Destrói com a nossa felicidade.

    ResponderExcluir
  10. É muito difícil para quem convive com um bipolar, pq muitas vezes parece q as ações são propositais, muitas x são repetitivas, coisas q já foram faladas e discutidas, mas para o bipolar tbem é muito difícil pq para ele existe sempre o peso da culpa, de se sentir impotente... As x a discussão é normal de um casal, mas no final o bipolar sempre leva a culpa, pq tinha q ter pensado antes, falado menos é isso é obrigação de tds, porém depois da discussão quem carrega o peso da culpa é o bipolar! Se ele não fosse diagnosticado como tal, no final a culpa seus dos dois, mas agora é dele... Ele q vai ter q carregar isso, o fim do namoro, do casamento, a separação de filhos... Muitas x o bipolar prefere deixa-los p não ser mais um trastorno, um problema...

    ResponderExcluir
  11. É muito difícil para quem convive com um bipolar, pq muitas vezes parece q as ações são propositais, muitas x são repetitivas, coisas q já foram faladas e discutidas, mas para o bipolar tbem é muito difícil pq para ele existe sempre o peso da culpa, de se sentir impotente... As x a discussão é normal de um casal, mas no final o bipolar sempre leva a culpa, pq tinha q ter pensado antes, falado menos é isso é obrigação de tds, porém depois da discussão quem carrega o peso da culpa é o bipolar! Se ele não fosse diagnosticado como tal, no final a culpa seus dos dois, mas agora é dele... Ele q vai ter q carregar isso, o fim do namoro, do casamento, a separação de filhos... Muitas x o bipolar prefere deixa-los p não ser mais um trastorno, um problema...

    ResponderExcluir
  12. Sou bipolar sofro muito demais sufoco vejo coisas que não existem,é horrível só nos sabemos nossa dor perdi meu amor por causa de minha doença quero morrer mas tenho uma filha é tdo muito difícil pra mim.estou a uma semana de cama o mundo pra mim acabou ele Não me entendeu,não me amou o bastante

    ResponderExcluir
  13. Estou ficando com um pessoa tem o risco de ela tá comigo por causa do bipolarismo? ?

    ResponderExcluir
  14. Estou ficando com um pessoa tem o risco de ela tá comigo por causa do bipolarismo? ?

    ResponderExcluir
  15. Descubrir que meu ñamorado é bipoĺar pq ele mim disse isso depois de 1ano agora consigo entender pq ele acabou o namoro comigo por telefone e depois veio mim procurar pra voltar.

    ResponderExcluir
  16. Porfavou preciso de um contato de alguem companheiro ou ex companheiro de bilolar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, mano; liga eu aqui. Minha esposa é bipolar e o bicho pega pro meu lado também.

      Excluir
  17. Eu estou vivendo isso também namoro à 2 anos 8 meses e não tem sido nada fácil já pensei em desistir várias vezes desse relacionamento mas gosto muito dele e quero ajuda lo fiz terapia para me fortalecer e entender um pouco essa doença mas é muito sofrimento.

    ResponderExcluir
  18. Namorei um bipolar. Ele vivia se colocando em risco e me colocando em risco também.Me traiu várias vezes com seu comportamento promíscuo. Me agredia verbalmente e me ameaçava caso o deixasse. Isso quando não quebrava tudo e ameaçava se matar. Pior. Por minha culpa. Moral da história. Eu acabei surtendo e caindo em depressão e ele me disse o seguinte: vi tá ficando com problema. Volta pra sua casa melhora depois volta pra cá.não vou ficar com uma pessoa que tem problema.
    Simples assim.
    Ou seja. Bipolar não é coitadinho e nada besta.
    Conheci diversas bipolares. Pergunta pra um bipolar se ele quer namorar outro bipolar.
    Quantos casais de bipolares alguém já conheceu?
    Não caiam nessa.
    É uma teia de aranha. Voceano quer deixar mas se sente culpada por abandonar alguém doente. É muito difícil. Pior. Se tiver filhos eles podem ter a mesma doença. Pensa o sofrimento da criança?
    Aconselho agir com razão, não com emoção. Pois um relacionamento assim pode acabar com a sua vida. Como acabou com a minha e a de pessoas que conheci.
    Caia fora. Relação tóxica. Ao invés de curar a pessoa você vai adoecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. Inclusive essa nao é uma característica dos bipolares. São teatrais. Mas são empático e vazios.
      O amar dele e gostar é diferente de uma pessoa com sentimentos nobres e sem desvio de conduta. Bipolares são escassos de amor e vivem em sua amargura ódio e solidão. Tem poucos amigos devido ao seu comportamento. Por fora são uma coisa. Por dentro são outras. Não existe nenhum.bipolar coitadinho. Coitadinho é quem cai no conto de um deles. SeJá realista. É uma doença como qualquer outra. Um diabético morre de medo de ter filho e a criança nascer com o mesmo problema é dor. OSair que tem Aids e uma alma linda ficam sem parceiros por medo e preconceito. Muitas vezes não tem filhos pois sabem que não poderão estar presentes e cuidar com amor de seus filhos.
      O bipolar já não pensa nisso. Só no ganho. Bipolares são egoístas e ignorantes. A ignorância e a maldade são vizinhas. Eles têm suas vidas destruídas e destroem a dos outros. Parem de tapar o sol com a peneira.
      Deixem os Bipolares serem felizes e amados. Mas por outros Bipolares. Mas querer chamar de Coitadinho pq tem um transtorno?
      Desculpa mas o nome disso é pena ou estupidez. O preconceito já vem de você por sentir pena de alguém. Ninguém é digno de pena. E ninguém tem culpa de alguém ter bipolaridade.

      Excluir
    2. olá!!!
      tudo que vc falou eu concordo...me passa teu contato para eu trocar ideias sobre a doença.

      Excluir
  19. Boa noite. Minha esposa sofre dessa doença, e para piorar a situação e muito ciumenta, ela pode tudo e eu nada posso nao posso ir em lugar algum, a situação esta cada vez pior, ja nao temos relação a um bom tempo ela não aceita isso e começa a dizer que a culpa e toda minha. para piorar a situação ela hoje te diabets 1. Ela se tornou uma pessoa violenta agressiva tanto verbalmente como fisica. como lidar com essa cituação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Peço que veja dois clipes.
      http://sigur-ros.co.uk/valtari/videos/fjogur-piano-alma/

      E este
      Behind blue eyes- limp bizkit


      Por favor assista aos dois.
      Principalmente o primeiro que retrata o amor obsessivo. Onde o rapaz é doente e incapaz de observar a dor e o sofrimento que causa a sua mulher. Seu objeto que ele não ama. Mas acha que ama.
      Espero que você se ajude e se livre desse mal antes que acabe com sua vida e seus sonhos. Deus está contigo.

      Excluir
  20. As pessoas estão romantizada muito a bipolaridade.
    É uma doença grave. Debilita tanto o paciente quanto quem convive e se envolve emocionalmente com ele.
    Ser amigo é uma coisa. Ser pai mãe irmão ou marido de bipolar. É outra.
    A bipoláridade é prima da esquizofrenia.
    Não é só uma depressão ou uma mudança de humor como pensam. Envolve muita coisa.
    As pessoas que se envolvem emocionalmente com um portador de bipolaridade, principalmente o que não se trata. Pode correr riscos.
    Grande parte da população carcerária tem transtorno bipolar. É muito bonito falar pra amar, superar, crer em Deus que as coisas vão mudar. Não tem cura. Tem tratamento e como equilibrar. Mas a doença bipolar tem níveis. E na maioria dos casos a tendência é piorar.
    Doença psiquiatra se não tratada só piora.
    Se eu tivesse um amigo. Filho ou alguém que amasse. Não vou ser hipócrita. Não gostaria que um ente querido meu sofresse o que os pais e parentes próximos de quem tem tabela. Sofrem. E o que disseram é verdade. Casar e ter filhos só é vantajoso pro bipolar pra ter companhia e quem cuide dele. Porquestra pra todo resto é um prejuízo.
    Não é fácil lidar com quem tem problema psiquiátrico e não é fácil te-lo. É uma montanha russa entre poucos dias de alegria e grande sofrimento. E o bipolar não é bobo. Pessoas com bipolaridade tem uma perspicácia e um ponto de vista de como as coisas realmente são fora de série.
    Português claro.
    Pra querer entrar num.namoro com um portador de tab só se ele for tratado. Ter consciência da doença e seus ddanos. Eu não aconselho alguém a pegar essa cruz.
    Imagina se tiver um filho e a criança vir a ter o distúrbio. Vai ver o seu filho sofrendo a vida inteira. Nunca será realizado como pai ou mãe por mais que queira. É muito difícil.
    Aconselho a estudar sobre um assunto e conversar com um especialista. Psicolo e psiquiatra. Para se informar sobre o que DE FATO É A DOENÇA PSICOSE MANÍACO DEPRESSIVO.
    Lembrando que esse era o nome da doença antes de ter mudado de nome devido ao peso que a doença carrega.


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!!
      Li sobre o que escreveste e hj percebo que meu ex era bipolar,e pior não se trata.Hoje estou afastada dele devido o sofrimento causado,e com certeza se soubesse que era bipolar nem tinha me relacionado com ele,pois gera muito sofrimento,pois te culpam por tudo,não aceitam serem contrariados,muito dificil lidar,e pior traem,enganam e manipulam.Não sei se é a doença ou falta de caráter mesmo,mas enfim,meu conselho é que não entrem numa relação doentia.

      Excluir
  21. Sou casada com um bipolar há 8 meses , namoro e noivado foi muito difícil muitas brigas , ele me sufocando o tempo todo . Metia pés pelas mãos o twmpo todo, falava demissão e já se arrependia . E nessas brigas não me deixava sair de perto até que eu comecei a usar a agressões de uma forma de defesa de desespero pq ele pirata a minha cabeça, mas até então o amor dele.por mim sempre na frente sempre 100 por entorno coração. Há 3 semanas atrás tive crise depressiva entrou com o antidepressivo mas fazem 6 dias que está uma pessoa totalmente fria só lembra das coisas negativas que eu fiz a ele sem reconhecer que atitudes dele me levaram a fazer . Só fala que só agressiva e não tem diálogo comigo, mas toda conversa ele apela vai na ferida para me desestabilizar e realmente acabou a minha paciência de falar com ele . Só nos degladiamos. Há 1 semana ele está 100 por cento razão diz que amor dele não é o mesmo está na mãe dele já faz dias e que não sabe se quer voltar . Mas flash comigo o twmpo todo. Mas só para me agredir . Não está em nenhum momento reconhecendo as coisas ruins que ele me faz, só vê meus erros . Está muito difícil. Sem contar a palavra dele que da é. e pois volta atrás. Acho que tem um transtorno de personalidade não consigo confiar nele . Coisas ruins que jurou antes do casamento que não faria nunca mais, ontem mesmo usou contra eu . Agora fala que volta p casa se eu for procurar ajuda . Acho que mesmo que por tudo isso Stout precisando . Mas ele acha que resolverá todos nossos problemas. Ele esta há 3 meses fazendo certo o tratamento, depois de 15 dias internado. Tá muito difícil

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde pessoal...Eu sou noiva de um bipolar namoro há 3 anos e é muito difícil pois um dia está bem no outro não mais e o pior que agente é pega de surpresa muitas vezes é mal tratada ignorada parece que nem existo quantas vezes fiquei pensando se eu tinha feito algo pois ele não me procurava pra conversar sempre é eu que tenho que procurar para conversar saber se está tudo bem.Fica dias sem me ver não liga não é carinhoso nem um pouco.Depois que passa a fase da depressão volta a ser a pessoa alegre que era.Mesmo sabendo da doença eu ainda não me acostumei as vezes penso que ele não deve me amar pois não dá pra entender como os sitomas de uma doença pode confundir tanto os sentimentos da gente criar dúvidas.Ele não faz o tratamento direito toma os remédios mas quando cisma que não está fazendo o efeito que esperava ou que teve uma melhora simplesmente ele para de tomar achando que está muito bem.Isso ocorre a cada 3 meses a crise depressiva eu já fiz terapia com psicologa para me ajudar e ajudar a entender ele melhor.Mas é muito sofrimento muito instável você nunca pode planejar nada pois tudo muda de repente.Que Deus me dê a força que eu preciso pra continuar essa luta pois não desisti dele ainda porque o Amo muito e quero mais que tudo nessa vida vê lo bem e feliz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fui diagnosticada, meu Deus quanto sofrimento ao saber que eu, uma mulher de 25 anos tenho um transtorno psiquiátrico incurável, que não posso falar com ninguém por medo do preconceito. Então, com um grande conhecimento de causa, eu afirmo, fujam dos bipolares. Mesmo com o tratamento o controle dos episódios é algo extremamente difícil, e enquanto a medicação faz efeito sentimos como se houvesse a perda de nossa personalidade. De todas as formas que puder imaginar a inconstância causa a infelicidade de quem amamos. Estou em um relacionamento longo e as vezes sinto pena dele por não me conter e feri-lo. Eu sinto a crise acontecendo, + não posso fazer o bloqueio, e quando vejo...Se vc é saudável, não caia esse ciclo de desilusões, imponha-se, e o fundamental: faça isso rápido, antes de se deixar seduzir. A mente do bipolar não é como a sua, viver em uma roleta pode ser misterioso no começo, + não vale a pena.

      Excluir
    2. querida, e vc vai ser feliz quando, isso e uma roubada.
      ele precisa se tratar vc não e o remedio, todos os casos que vi as pessoas entram sadias e ficam doentes ,manter a distancia com certeza ajuda ,isso de querer so o bem do outro não é amor ,deve amar ao proximo como ati mesmo,veja bem se e para levar adiante esse relacionamento casamento e coisa seia e é para vida toda.

      Excluir
  23. O AMOR E A RAZÃO

    Li com atenção todas as observações e infelizmente vejo que esse envolvimento sentimental com quem tem a bipolaridade é algo muito complexo.
    O sentimento do parceiro vai sendo minado. Você não sabe mais quem está ao seu lado, se é a pessoa ou a doença, quem está agindo e quem está se furtando a agir.
    A resistência a cumprir a medicação e as orientações parecem comum.
    A vida é instável... se estiver numa onda boa, aproveite ao máximo porque quando o vento mudar a pessoa que está ao seu lado será outra, te acusará de todas as maldades na vida dela, tentará resolver o problema de todos como se fosse capaz de mudar o mundo e, ao mesmo tempo, não consegue sequer ajudar a si mesma.
    Pra mim, após algum tempo de relação, de diversos fins de relação forçados, ficou a certeza que é melhor se afastar.
    Os efeitos no parceiro são silenciosos e nesse momento se mostram mais evidentes... O parceiro, por proximidade, acaba sendo um testa de ferro para a pessoa e isso tem seus danos... Vale a pena ficar atento aos sintomas em você para que a sua vida de alguma forma seja melhor.

    Para quem crê em Deus, muita fé.... Para os que crêem em milagre, busquem e desejem que os pacientes se cuidem, busquem a sonhada estabilidade e assim sejam pessoas normais em seu cotidiano.

    Infelizmente a relação com uma pessoa bipolar é isso. Continuar ou se afastar é uma decisão difícil, pessoal e que merece muita análise de cada contexto.
    Mas é preciso que vocÊ tenha consciência que as acusações de hoje se repetirão e você, parceiro, será sempre o CULPADO.

    Luz e PAz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade,bem isto que vc escreveu,muito difícil conviver com um bipolar!!!Eu era casada com um que não se trata nem se quer aceita q poderá ter a doença,e como li que tem causas genéticas e um familiar tinha e tbm não era tratada mas pelos sintomas era.foram vários anos de um relacionamento onde perdi até meu amor próprio,sempre eu era a culpada de tudo,eles nunca erram até cometer uma traição onde gerou vergonha e separação.Hoje estou afastada dele nem conversa eu quero pois é uma pessoa vingativa e ruim,sempre com uma capa de boa para os outros,mas acredito que um dia a máscara cai.Hoje luto sozinha com minha filha,mas graças a Deus tem me dado forças para seguir.

      Excluir
  24. Estou namorando um bipolar diagnosticado há 7 meses. Desde o inicio foi tudo muito intenso. Nos conhecemos em um aplicativo de relacionamento e logo de cara me apaixonei por ele. Ele é bonito, tinha vários amigos em comum, bem sucedido (médico cirurgião), inteligente, carinhoso e tem uma família incrível. Ele faz acompanhamento e toma medicaçaõ há 10 anos e está controlado. Nunca o vi em um episódio de mania em contrapartida sinto que ele sempre está em um certo nível de depressão. Raramente saímos juntos para lugares agitados (shows, bares, etc). Vejo um esforço gigante da parte dele para ficar em uma roda de amigos ou familiares por mais de 30 minutos... Basicamente ele fica em cima da cama, está sempre cansado e sem disposição para nada. No máximo saimos pra jantar. Cada dia mais ele vem se abrindo pra mim, tentando me contar dos seus problemas e dificuldades e eu tento ajudá-lo. O que mais agrava o caso é que ele teve uma adolescencia dos sonhos, era o garoto mais inteligente e bonito do colégio na qual todas as meninas sonhavam, não tinha dificuldade em se relacionar com ninguém, era muito assediado e sempre rodeado de amigos. Até hoje os nossos amigos em comum contam os casos dele referenciando-o sempre como um cara animado, alegre, divertido e "pegador". Devido a doença e medicação ele engordou muito e não se aceita como está. Sinto que isso fere muito a sua autoestima e isso tem reflexos negativos em nosso relacionamento.
    Na semana retrasada descobri que ele me traiu com 3 mulheres após um término de um final de semana que tivemos. Ele tem uma "vida social" a parte na internet, sempre mantém contato e conversas com diversas mulheres com tom sexualizado e isso tem me dado muito nojo. Depois de muita conversa e pedido de desculpas, eu o perdoei e estamos juntos novamente. Ele confidenciou que nunca conseguiu ser "fiel" com nenhuma namorada devido a essa necessidade de autoaprovação e tenho pensado muito sobre a decisão de continuar com alguém que é infiel declarado, quase patológico. Em contrapartida, ele é um excelente namorado, sempre carinhoso e delicado, compreensivo, generoso, parceiro e sinto extrema admiração pelas suas ideias, posicionamentos, etc.
    Fico triste quando ele fica mais ausente mas tenho aprendido a lidar bem com esse fato. Entendo que isso é um sintoma e não personalidade dele e tento ser um suporte positivo (deixo recados positivos sobre ele, estendo a mão e me coloco a disposição para o que ele precisar sempre lembrando que ele tem uma pessoa que o ama muito).
    Estou completamente confusa se continuo ou não com ele por medo de ser "chifrada". Tirando isso não posso reclamar de quase nada.
    ps: o sexo com ele é INCRIVEL e pra não me deixar na "mão" ele toma viagra quando sente necessidade pois sabe que isso é importante pra mim (sexo).

    Alguém passa por algo parecido??????????????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu ex-noivo (acabamos quinta-feira, dia 05 de janeiro) é bipolar e posso te dizer que a sua situação é bem parecida com a minha: ele era perfeito, me tratava bem, sexo incrível, companheiro, carinhoso, amável e admirável por todos, éramos um casal perfeito. Acontece que ele também vem, há 2 anos, mantendo conversas maliciosas com mulheres que dão em cima dele, adora ser elogiado por elas e seduzir e, ao final, sempre se vitimiza por estas situações. É doentio o que a gente passa na mão deles, sempre culpada de tudo de ruim da vida deles. Acabamos um casamento com data marcada para junho simplesmente ele me culpando até das conversas sexualizadas que ele mesmo teve, me culpando da infantilidade dele, dizendo que eu exigia demais dele e que não compreendia a doença. Tudo mentira! A família toda contra mim, eu sempre algoz e ele vítima nesses 15 anos de relacionamento, cansei. Pois ele me deixou a beira do altar, cheia de dívidas pra pagar e, pasmem, é medicado, não bebe, não fuma, não usa drogas, dorme em horários regulares, segue tudo à risca e mesmo assim vem nesse estado apático desde que se formou em medicina. Insatisfeito com tudo e comigo, nada do que eu faço presta. De fora, as pessoas acreditam que sou louca por ter gastado mais da metade da minha vida com ele, hoje tenho 28 anos e 15 passei com ele, mas pra mim ele valia a pena e nosso amor também. Só sabe o que nós passamos como vítimas dessas pessoas nós mesmos, a nossa família acha que estamos cegos e a família do bipolar nos culpa pelas crises recorrentes devido à má fama que eles espalham de nós quando estão enraivecidos. É muito triste admitir que amamos uma pessoa tão instável e que definitivamente não conhecemos o ser amado após anos de convivência por conta de estressores que eles não conseguem lidar e descontam em nós. Adoecemos sim, precisamos de ajuda terapêutica sim, da mesma forma que os bipolares, pois saímos da relação culpadas, noiadas, histéricas e despedaçadas pensando porque isso aconteceu e onde erramos. Quem estiver começando uma relação dessa, é importante saber que os remédios controlam, mas as crises vêm inevitavelmente porque as coisas acontecem, a vida é dinâmica e a fragilidade deles é assustadora diante das mudanças.

      Excluir
  25. Sim...pelas mesmas coisas..mas desisti . Resolvi colocar um ponto final pois isso machuca muito. Você aceitar que a pessoa vai ficar com outras..que hoje está tudo lindo e amanhã não mais..é muito dificil.
    Durante um ano tentei me relacionar com esse cara incrivel, inteligente, carinhoso, atencioso extremamente gentil e excelente pai, super familia...meu Deus quantas qualidades, o sexo então incrivel..nunca experimentei nada igual..me tornei dependente desse homem, que me dava tudo isso por tres dias...e do nada..simplesmente do NADA ...MUDAVA por completo. Passava a ser uma pessoa fria, distante,que me machucava muito com o seu silencio....e eu sofria....e como num passe de magica, em alguns dias vinha uma mensagem...toda linda..me chamando pra sair...e eu aceitava novamente sempre achando que ia ser diferente. Ia me buscar abria a porta do carro..um gentleman..me fazia me sentir uma verdadeira princesa...me apresentava pra familia inteira..me enchia de surpresas..seu beijo..seu toque..era tudo o que uma mulher espera de um homem. mas...da mesma forma como um passe de mágica...em alguns dias esse homem ia embora e voltada o insensivel..o ontrospectivo, que nao conversava que era indiferente a minha existencia. O pior de tudo é que ele não é diagnosticado e não toma e nem aceita nenhuma medicação..nas poucas vezes que tentei abordar esse assunto fui completamente ignorada.
    Foram muitas e muitas tentativas...muita oscilação entre amor e ódio entre super lindos momentos em familia no parque e em momentos de muita solidão.
    Me machuca tambem ter envolvido a minha familia nisso e a familia dele tambem..pq nos momentos em que ele estava bem...eu era a esposa , a mulher a namorada perfeita...sempre desfilando comigo de mao dadas por todos os lugares e enchendo o peito pra me apresentar para alguem.....durava pouco.
    Decidi bloquear de todas as formas ...colocar um ponto final mesmo amando esse homem como eu nunca amei .ninguem...
    hoje tenho um outro relacionamento...estou tentando me permitir ser feliz...mas nunca vou esquecer o que eu vivi..e como essa doença impediu a minha felicidade.

    ResponderExcluir
  26. Sempre leio a respeito dessa doença, e sempre me pego vendo os mesmos testemunhos as mesmas histórias..de uma forma muito particular estou decidindo se fico ou não con meu namorado. ele tbm e bipolar mesmo amando ele de forma sincera e profunda consigo avaliar as coisas. Não posso amar tanto ele investir em um relacionamento dando a ele expectativas sobre ser amando e depois o abandonar ele não é agressivo. ..mais em contra partida mente de forma descarada. .ta difícil

    ResponderExcluir
  27. Agradeço se alguém poder me auxiliar em dicas de como faze los se sentir melhor em cada episódio. ..

    ResponderExcluir
  28. Tenho 41 anos, sou separada, tenho uma filha e estou começando um namoro com um homem de 47 anos, maduro, separado, pai de dois filhos, com quem compartilho ideias, gostos e muitas afinidades. Porém, ele sempre fala muito pouco sobe ele, mostrando-se uma pessoa fechada e as vezes um pouco frio. Gosto dele, temos amigos em comum que fizerem somente elogios quanto ao seu caráter, mas me alertaram que havia um problema, sem dizerem o que era. Não fizemos sexo ainda. Estamos juntos há cerca de 2 meses. No começo nos víamos muito pouco, mas depois notei que de certa forma ele evitava ficar sozinho comigo e quando estava não tentava nenhum tipo de intimidade. Pensei milhões de coisas, mas tivemos uma conversa a repeito onde ele disse que nao queria mais ter pressa, que o que ele queria era construir uma relação de bases solidas, com sentimentos e não baseada somente em sexo. Não concordo, mas respeito e tentei entender. Ha dois dias, bastante constrangido, ele veio me dizer que tinha TB. Percebi o quanto ele ensaiou pra dizer e o quanto foi difícil. No momento, não dei importância, já que não conhecia a profundidade do problema. Agora estou começando a me apavorar. Ele me disse que se tratou por alguns anos, mas os medicamentos deixavam ele muito "insensível", sem reações e que hj ele se controla muito, sofre demais e em alguns dias fica exausto se vigiando e se controlando. Eu acredito que ele consiga pois esta fora de crises, e que quando vier, ele vai se desequilibrar.
    Sei que ele está envolvido nesse relacionamento, tanto quanto eu. Apesar de falar pouco sobre sentimentos, ele demonstra isso nas atitudes, compartilhando tudo que é importante e me colocando em coisas simples, mas significativas da vida dele. Mas milhões de coisas me passam pela cabeça agora, depois de ler tudo que li a respeito do comportamento das pessoas com TB.... Não sei se saio correndo ou se fico ao lado dele...

    ResponderExcluir

Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Fale com o blog

Envie o seu email para o blog.

Nome E-mail * Mensagem *