Pesquisar este blog

17 agosto 2011

Marcadores: ,

Cada parte compartilhar

Compartilhar
Ninguém responde

MelancoliaRecorte do cartaz de Melancolia (2011)

Se você não tivesse ido eu faria tudo aquilo que eu deveria ter feito enquanto você estava e nada daquilo que um dia te motivou a não estar mais. Lembra quando eu beijava a sua boca parecendo que eu queria sempre ir mais e mais fundo? Era um jeito idiota e infantil de tentar alcançar seu coração, de tentar fazer a gente ser mais do que o que a gente era. Cada palavra sua eu ouvia, cada cheiro seu eu sentia, e alguma parte de mim acreditava em cada promessa. Alguma parte não, a quem eu quero enganar? Eu por inteiro acreditava. Eu acreditei. E o mais triste disso tudo não é que você não cumpriu nada do que eu acreditei, o mais triste é que eu ainda acredito. Eu te queria agora e para sempre, mas você está tão atrasado que eu até me esqueci que te amava e talvez eu nem te reconheceria mais quando você voltasse. Que tolo! Eu ainda considero a possibilidade de você voltar. Eu desisti de você e agora eu quero que você desista de seguir seu mim? Posso estar enlouquecendo, mas tenho tentado evitar. Dizem que um sinal de loucura é viver em um mundo paralelo com pessoas e lembranças não compartilhadas., exclusivas Loucura é falar sobre quem ninguém mais conhece, sobre quem nunca existiu. Loucura é agir como se fosse real o que só existiu na sua imaginação. Acho que o amor é o mais perto da loucura que podemos chegar. Talvez seja isso, não exista o amor ,só exista a loucura. Estou há anos falando de você, mas cadê você que ninguém mais vê? Cadê a gente? Onde estamos além de na minha memória? Onde você está quando não está na minha lembrança? Devem achar que sou louco, devem achar que você nem existe. Meus amigos devem pensar que eu te inventei para passar o tempo e para ter alguém por quem fingir que espero. Quem sabe o amor não seja só um jeito louco de fingirmos que pertencemos a alguém? É por isso que eu escrevo sobre amor. É por isso que eu escrevo sobre você, para não enlouquecer  Falo sobre amor e sobre você para ver se sou apertado pelo seu abraço que me falta e não por camisa de força. Se eu guardar para mim todo esse amor e cada lembrança e cada sonho e cada parte sua você vai morrer comigo, você vai existir só em mim. Então eu compartilho meu amor e você com o mundo, eu falo para mais gente saber o que sobrou da gente ou o que a gente poderia ter sido ou o que ainda somos para a gente existir além de mim. Então eu tenho que contar. Cada parte compartilhar. Cada parte com parte irá viver além de mim, além de você. Eu compartilho para haver mais gente com partes suas no mundo, para haver mais gente com partes nossas. Compartilhando vai haver no mundo mais gente me ajudando a te amar e, principalmente, mais gente me ajudando a te esquecer. Porque eu vou ter que te esquecer, não posso mais viver de migalhas e vomitar esperança, enquanto eu grito seu nome, enquanto ninguém responde.

9 dos desabafos - DESABAFE!:

  1. Amor ou obsessão?! Conheço algumas pessoas que vivem confundindo esses dois substantivos tão diferentes. Eu mesmo já fui obsessivo e achava que amava!

    ResponderExcluir
  2. John,
    Amor é querer o bem, é gostar de alguém, obsessão é importunar, perseguir. Eu já amei e muito, mas nunca persegui, muito antes pelo contrário. Mas eu entendo sua dúvida, nesse mundo superficial e descartável a gente acaba confundindo amor intenso com doença. ;)

    No meu caso eu escrevo apenas para sublimar, como todos que "compARTElham" seus sentimentos. Como já escrevi antes, ninguém manda no que sente, o que é cientificamente comprovado, mas a gente manda no que faz, o que sinto, sinto, o que faço é seguir minha vida, distante e feliz! :)

    Sobre amor obsessivo, ou melhor, amor patológico, sugiro que leia minha entrevista com a psicóloga clínica Eglacy Sophia, supervisora do Setor de Amor Patológico do Ambulatório Integrado dos Transtornos do Impulso (Amiti), do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo: Quando o amor vira doença.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Hum, muito boa a matéria. Valeu (tem poucos dias que descobri seu blog)! Mas eu acabei abraçando o texto e "superficializando" o significado da palavra obsessão. Quis dizer apenas no sentido de ideia fixa, como se a tal pessoa fosse a única que existisse no mundo. Muita gente pensa e sente desta maneira e acaba "empacando" a vida afetiva. Meu primeiro relacionamento foi assim: eu achava que amava, mas depois percebi que sustentava aquele amor apenas porque acreditava não ser capaz de encontrar mais ninguém no mundo para amar. E mais adiante descobri que sou capaz de amar intensamente, abandonar o relacionamento que se tornou egoísta e, horas depois, amar intensamente outra pessoa. É muito complicado explicar assim, mas acho que consegui dar uma "clareada", rs.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Boa, será que ainda dependo e espero aquele único amor que senti ou o mais forte que me domou? Posso está esperando o que não virá e talvez eu já saiba e estou com obsessão fantasiosa de que ainda exista este amor em mim pelo medo de não amar ou ser amado novamente e carregarei por insistência esta única história?
    É, já é o momento de abrir novas analises sobre tudo o que tem me tornado e acreditado. Gente moço de diamante, iluminando a cabeça de tanta gente com certeza, mais uma obra-prima sua parabéns.
    Aff, o amor é uma loucura sem dúvida.

    ResponderExcluir
  5. John,
    Se fez entender sim! Seja bem-vindo! :)

    --
    Luiz Hick,
    Às vezes estamos sim esperando o que não virá, mas, demora até percebermos isso, se é que percebemos... Muito obrigado pela generosidade das suas palavras! :D

    ResponderExcluir
  6. Teu blog salvou meu final de semana de uma tristeza.
    Descobri ele sábado e li todos os posts que pude, e TODOS me deram esperança e vontade de melhorar como pessoa!
    Muito obrigada por compartilhar sentimentos tão nobres.
    Te desejo muitas coisas boas de coração!!
    Carol-RS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Carol! Fico feliz por ter te levado, de alguma forma, um pouco de esperança!!!! Beijo!

      Excluir
  7. Ruleandson do Carmo, espero que tenha encontrado outro Amor. Afinal a gente sempre encontra. rs

    ResponderExcluir

Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Fale com o blog

Envie o seu email para o blog.

Nome E-mail * Mensagem *