Tecle CTRL + D para adicionar aos Favoritos | Desabafos - Crônicas |. Revista  |. Frases - Tumblr  |. Você no blog |. Receba as crônicas por e-mail |. Sobre o blog e o autor | Fale conosco
Carregando...

Sou só morando só


Compartilhe no Orkut Share on Tumblr Compartilhe no Pinterest

Sem amor, sem mim, sem fim

A solidão (2007)Recorte do cartaz de A solidão (2007)

Tenho andado só. Tenho me sentido só. Não aquele só que você cansou de ouvir - aquele só da sua ausência, aquele só que me encontro desde que eu não te tenho (se eu tiver tido), não aquele só que é só a sua saudade, a sua falta, que, na verdade, nem me falta mais, já se tornou parte de mim. É estranho, mas a falta de algumas pessoas se torna parte de nós, algo que às vezes ignoramos, a vida sufoca, mas está lá. Como os passos que a gente dá sem pensar no movimento de cada perna. Quando você anda você não pensa "vou mexer essa perna, agora vou mexer a outra", você apenas mexe, movimenta e anda, mas insconcientemente o pensamento está lá. A falta da pessoa que amamos é assim, com o tempo a gente acostuma, passa até despercebido, mas é essa falta que se torna o pensamento que faz a gente seguir, como o pensamento em segundo plano que faz a gente dar cada passo. Você não está aqui, mas você sempre está aqui, então não é desse só que eu venho te falar hoje. Estou só, morando só, em uma nova casa, em uma nova cidade, em um novo trabalho. Muitas vezes eu desejei ter alguma chance para me mudar e conseguir te esquecer, em uma tola ilusão de que fosse o lugar que me fizesse amar, de que longe eu deixaria de querer você perto. Agora moro só e tenho tido cada vez menos tempo para tudo. Tenho tido menos tempo até para pensar em você. É que antes eu sentia a falta de alguém que eu amava, agora eu sinto a falta de todas as pessoas que eu amo no mundo e que não estão aqui comigo. A gente não encontra todos que amamos todos os dias, mas a possibilidade de encontrar estando na mesma cidade nos conforta, a impossibilidade estando longe atormenta. Dores crônicas tem sufocado o tempo para escrever minhas crônicas em meio a minha vida anacrônica querendo você, que a cada novo hoje se torna tão mais longe de cada ontem. Mas tenho descoberto muita coisa. Descobri que há frios que nenhum agasalho tira. Percebi que a saudade de quem se ama dói quando quem se ama está distante e dilacera quando quem se ama está ausente. É diferente distante de ausente, a distância é a falta física inevitável e a ausência é quando quem você ama escolhe não estar. Tenho tentado aceitar que as pessoas fazem escolhas e têm o direito de fazê-las, mas que às vezes essas escolhas não incluem você. Notei como nunca que você só pode contar com quem você pode contar. Morando só você percebe que, por mais útil que seja a Internet, nada faz mais companhia do que uma TV velha que de longe chia, chia com o som daquele programa que você não quer ver, mas tem o único barulho capaz de abafar a voz da saudade de todos aqueles que você quer ver, mas não surgem, mesmo que se troque várias vezes de canal. Pagando as contas você percebe que você parcela as dívidas para doer menos no bolso, mas a vida não parcela dores e medos, ela manda todos de uma vez, mesmo que você não dê conta de arcar com eles. A cada dia aprendo que com a saudade todo lugar se torna imenso e impossível de ser preenchido, mesmo este quarto no qual vivo, tão apertado que parece o menor do mundo, mas às vezes tão solto quando nele não encontro o apertar do seu abraço. Constato que a distância ensina melhor do que qualquer dicionário a diferença entre casa e lar. Sinto vontade de ouvir até os gritos da minha mãe querendo que eu fosse quem eu nunca vou ser. Sinto vontade de gritar, mas não tem ninguém aqui para me ouvir (você pode me ouvir? você quer me ouvir?). Acredito cada vez mais que covarde é quem não chora, é quem não sente, pois é preciso ser forte para se permitir sentir e crescer. Penso no quão longe estou de casa e me dói saber que eu iria ainda mais longe se algum caminho me trouxesse você. Mais distantes de todos estaríamos mais próximos de nós? Até agora a vida nova que eu desejei me trouxe apenas a vontade de voltar a ter a minha vida velha, mas eu sei que isso pode mudar a qualquer momento. Ser romântico, sensível, intenso, melancólico e geminiano é ter uma bomba relógio no peito prestes a explodir. Sou só morando só, só de sem você, só de sem ninguém, só como posso e como só preciso ser. Mas essa solidão tem sido a companhia para me fazer crescer e aceitar o que é e o que nunca deveria ter sido. Ser só e aceitar (me enganar) tem sido o melhor que poderia me acontecer. Sou só, vivo só, porque aqui ou aí - quem saberia dizer - nunca fomos nós.


Sobre o autor
Ruleandson%20do%20Carmo Ruleandson do Carmo , autor de todas as crônicas deste blog , é jornalista, doutorando em Ciência da Informação (UFMG) e ama falar de amor. Saiba mais
Facebook Twitter Orkut Google Plus Gmail
Desabafos - Comente
13 Desabafos - Comente

13 comentários :

  1. E traduzir esse sentimento de euforia, de prazer, admiração e satisfação?
    Não tem como, assim como não tem como entender a ausencia de quem se ama, não tem como esquecer e completar o vazio, a falta que akela pessoa faz...

    Não sei como descrever o que sinto quando leio seu blog, assim como deixo de lado essa ausencia de quem eu tanto queria por perto. Parabéns!

    @xPikenax

    ResponderExcluir
  2. (...)Descobri que há frios que nenhum agasalho tira. Percebi que a saudade de quem se ama dói quando quem se ama está distante, mas que ela dilacera quando quem se ama está ausente. É diferente distante de ausente, a distância é a falta física inevitável e a ausência é quando quem você ama escolhe não estar.
    -RU- Mais um texto magnífico, sabe o que eu acho mais difícil? É tentar entender como alguém pode escolher não estar presente..recusar-se a receber tanto amor..em uma busca inútil por uma resposta que jamais me satisfará...
    Beijo meu querido..e fé no amanhã!

    ResponderExcluir
  3. vontade de gritar,mas não tem ninguém pra ouvir, amo todas as suas cronicas e é incrivel como cada uma veem exatamente no momento em que estou passando por uma situação parecida, eu me mudei, trabalho novo, cidade nova, pessoas novas, e eu achei que iria esquece-lo, mas parece que ficou tudo tão mais dificil, eu chegava em casa e nao tinha com quem conversar e dai vc vai na internet, ai ELE aparecia fazia juras de amor, mas pq qndo eu estava perto ele nunca disse? então resolvi voltar pra ficarmos juntos, larguei o emprego e vim, fazem 4 meses que voltei e 3 dias que ele disse mais uma vez que nunca me amou e voltou com a ex! to tão mal, ainda mais pq não tenho com quem desabafar, perdi minhas amigas por causa dele, nao tenho coragem de flar com os meus pais...acho que fiz a escolha errada, talvez se tivesse ficado lá, teria superado toda essa solidão e saudade e poderia realmente ter encontrado um amor! Mas agora é seguir em frente e superar essa dor, que dói tão só! Ru você é o melhor,suas palavras confortam!

    ResponderExcluir
  4. pikena42,
    Fico muito feliz pela sua espera da nova crônica e por seu carinho comigo e com o blog! Obrigado!

    --
    Dani.Dieli,
    Muito obrigado. É mesmo difícil entender a escolha de estar ausente de alguns do que amamos, mas se os amamos mesmo que não concordemos, mesmo não que sejamos feliz com as escolhas deles, mas temos que respeitá-las. No fim a gente supera! :)

    --
    Anônimo,
    A gente sempre tem que encontrar um jeito de superar a dor, espero que você encontre o seu! :) Fique bem e muito obrigado!

    ResponderExcluir
  5. Eu quero dizer aqui, mais uma vez, do meu prazer em ler tudo o que você escreve. Seu talento é inato, e tenho certeza de que muito em breve comprarei um livro seu para a minha locadora. Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  6. quanto mais vago pela internet, percebo o quanto existem tantos outros solitários usando uma moleta pra solidão. A internet.

    ResponderExcluir
  7. "A falta da pessoa que amamos é assim, com o tempo a gente acostuma, passa até despercebido, mas é essa falta que se torna o pensamento que faz a gente seguir, como o pensamento em segundo plano que faz a gente dar cada passo. Você não está aqui, mas você sempre está aqui..."

    Ai Ru...mais um texto PERFEITO!!!!
    O que falar depois de ler algo como isso? Nada mais....nem é preciso.
    Adoooooro suas crônicas. Sou fã!!!

    Bjos com carinho.

    ResponderExcluir
  8. Ru,

    Mais um texto lindo... escrito por vc, mas ao mesmo tempo tão meu... é incrível como vc escreve sobre vc, mas poderia estar contando minha história...

    Estou passando por esse mesmo desafio... morando numa outra cidade, onde não conheço ninguem, a 1200km de todas as pessoas e lugares que aprendi a amar...

    Estar só nos faz pensar demais, amar demais e chorar demais... dói demais...
    mas como o mundo não pára enquanto a gente sofre, e como temos outras obrigações, precisamos seguir em frente, aguardando aqueles finais de semana em que podemos visitar nossa familia, nossos amigos...

    Keep walking, amigo!
    Tudo irá melhorar! Pelo menos é nisso que acredito...

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Iracema ferreira Coelho,
    Amém! Tomara que um dia eu lance mesmo um livro! Obrigado! :)

    --
    Sr. Lunático,
    Melhor ter muleta do que parar de andar, né? ;)

    --
    Cá Dreyfus,
    Muito obrigado! Que bom que gostou! :D

    --
    Kathy,
    Sinta o texto como nosso! Boa sorte para nós na vida a sós! Muito obrigado!

    ResponderExcluir
  10. Ser romântico, sensível, intenso, melancólico e geminiano é ter uma bomba relógio no peito prestes a explodir...aiai, essa sou eu, rsrsrs...

    ResponderExcluir
  11. This is getting a bit more subjective, but I much prefer the Zune Marketplace. The interface is colorful, has more flair, and some cool features like Mixview' that let you quickly see related albums, songs, or other users related to what you're listening to. Clicking on one of those will center on that item, and another set of "neighbors" will come into view, allowing you to navigate around exploring by similar artists, songs, or users. Speaking of users, the Zune "Social" is also great fun, letting you find others with shared tastes and becoming friends with them. You then can listen to a playlist created based on an amalgamation of what all your friends are listening to, which is also enjoyable. Those concerned with privacy will be relieved to know you can prevent the public from seeing your personal listening habits if you so choose.

    ResponderExcluir
  12. Incrível como essa dor, quando alguém, no caso eu, sinto, é tão forte como um torniquete apertando e apertando minha cabeça. Nem ler esses desabafos a gente quer, pois dá medo, o assunto já traz dores e uma coisa a mais: a tristeza, a melancolia, hoje, são sentimentos dos quais é práticamente vergonhoso falar, sentir, se contorcer. Pode ter, mas não comente com ninguém além de gente muito, muito próxima e de confiança. Tipo mãe. As pessoas depreciam quem fala sobre isso. Voltando ao desabafo do Ruleandson, ele disse umas palavrinhas meio mágicas que criaram um alívio, uma ponte entre nossa dor não sei bem porque: "Ser romântico, sensível, intenso, melancólico e geminiano é ter uma bomba-relógio no peito prestes a explodir" Eu não sou geminiano, mas sou escorpiniano, o que é um coquetel infernal. Mas ao assumir-se, colocando palavras tão claras, sabendo-se sensível, sabendo-se melancólico e escrevendo, não se escondendo, valeu por todo o desabafo e me fez sentir melhor.
    Bjux José Solon

    ResponderExcluir

Emoticons desabafos Digite os caracteres ao lado das imagens e adicione emoticons ao seu desabafo!
Formatação desabafos Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Blog Widget by LinkWithin