Pesquisar este blog

30 novembro 2010

Marcadores: ,

Entrevista - Amigo do ex: é possível ser amigo após o fim? (Paulo Tessarioli)

Compartilhar
Amigos ou inimigos

Minha super ex-namorada
Recorte do cartaz de Minha super ex-namorada (2006)

Quando o relacionamento amoroso começa, tudos são flores. Mas no fim são eles, os espinhos que costumam aparecer. Manter a amizade ou pelo menos um relacionamento amigável após o término tem sido uma tarefa difícil para vários casais. De acordo com o psicólogo especialista em sexualidade humana e terapia de casais, famílias e grupos Paulo Tessarioli, o mais difícil é que a relação termina, "mas o afeto não deixa de existir de uma hora para outra". Nesta entrevista, Paulo, que mantém o blog Affair com você, analisa o fim dos relacionamentos, a amizade entre ex-namorados e avisa "todo fim precisa ser aceito".

O fim de um relacionamento amoroso pode ter quais efeitos positivos e negativos nos indivíduos?
P: Os efeitos do fim de um relacionamento, positivos ou negativos, dependem de alguns fatores, por exemplo, a forma como se lida com perdas, em que circustâncias este relacionamento terminou e principalmente se a pessoa em questão manteve outros relacionamentos ativos (social, familiar e profissional).
É preciso sempre avaliar e se perguntar: a amizade com o ex é mesmo necessária?"
Há algum jeito de se encerrar a relação evitando mágoas?
P: Não existe uma fórmula mágica! A relação pode terminar, mas o afeto não deixa de existir de uma hora para outra. Algumas pessoas se sentem magoadas e ficam muito sensíveis quando uma relação afetiva chega ao fim.

É raro que a decisão de terminar a relação surja ao mesmo tempo nos parceiros, geralmente um não está satisfeito, não ama mais e o outro ainda ama. Como avaliar se ainda vale a pena tentar novamente?
P: A forma como cada pessoa avalia o que sente é muito particular. Crises de desejo sexual, de afeto ou de admiração não podem servir de parâmetro para avaliar uma relação de afeto. Uma relação a dois, para que exista de fato, pressupõe que seja construída a quatro mãos e por isso mesmo não deve desabar facilmente.

Minha super ex-namorada
Recorte do cartaz de Minha super ex-namorada (2006)


Nem todo fim é amigável. É possível ser amigo do ex?
P: Todo fim necessita ser aceito! Possível até é, mas é necessário? Quando a relação com o ex deixa filhos é importante para os filhos que esta relação seja amigável, mas mesmo assim não precisa ser amigo do ex.

Se a pessoa ainda ama o ex, continuar a amizade não pode alimentar esperanças de uma volta e levar ao sofrimento?
P: Sim e com um agravante, a não aceitação do fim pode se transformar num trauma.

Novos parceiros costumam ter ciúme da amizade com o ex, como lidar com esse ciúme?
P: Duas questões a serem analisadas. A primeira: Como é esta amizade com o ex? Ela é necessária? A segunda: Ciúme é sinal de insegurança e dependendo da intensidade necessita de tratamento. A autoconfiança é desenvolvida pela própria pessoa e ninguém pode ser responsável por isto. Passado, todos nós temos!
Na verdade, as relações sempre terminam por conta das expectativas não correspondidas"
Muita gente diz "se terminou é porque não deu certo" e outros dizem que "deu certo até terminar". O que o senhor diria?
P: Quando o assunto é relacionamento, não existe certo ou errado, mesmo porque existem muitos aspectos envolvidos e somente os protagonistas deste drama sabem o que de fato aconteceu. As pessoas, de um modo geral, se preocupam muito com a vida dos outros, mas não se preocupam em compreender a vida em sua complexidade.

Para encerrar, quais as principais razões que levam as pessoas a terminarem as relações? Há como evitá-las?
P: Pensando nas relações saudáveis, cujos vínculos são mantidos por conta da vivência do amor, creio que as relações terminam por conta das expectativas não correspondidas. Relação pressupõe troca e para que esta troca aconteça é preciso desenvolver a intimidade, cuja base é o conhecimento de si mesmo e do outro.

5 dos desabafos - DESABAFE!:

  1. Muito bacana a entrevista. Realmente ser amigo de ex é algo muito complicado porque quase todo término envolve briga, mágoas e frustrações e é preciso um amadurecimento grande para lidar com tantos sentimentos e ainda assim extrair o melhor do outro. Abraços querido e parabéns por mais esta brilhante entrevista.

    ResponderExcluir
  2. Complicado..não consigo ser amigo de minha ex com quem vivi por mais de 20 anos..
    se trocamos algumas palavras..é pelos netos..
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. tem selinho especial pra vc no meuu blog!
    beijinhoss...


    Mih

    ResponderExcluir
  4. A minha experiência pessoal é de uma amizade que, um dia, tornou-se o namoro e, depois de uns 3 anos, terminou. De fato, o fim é difícil e, no meu caso, foi a decisão do meu parceiro de optar por um outro homem. Por incrível que pareça, hoje somos amigos e essa amizade não se confunde com o relacionamento anterior (por mais que eu tentasse algumas vezes rsrs). Hoje, o meu "Ex" é o melhor amigo que tenho. Não sei se somos algum "acidente da natureza", mas acredito que tal situação seja possível.

    Abraço!

    ResponderExcluir

Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Fale com o blog

Envie o seu email para o blog.

Nome E-mail * Mensagem *