Pesquisar este blog

09 março 2010

Marcadores: ,

Amar o mar

Compartilhar
Nada de nadar*

Filme Shelter
Imagem promocional de Shelter (2008)

"Eu que não sei quase nada do mar..."
(Ana Carolina)

Sempre que amei, mergulhei de cabeça. Assim, sem bóia, sem touca, sem roupa especial, sem conferir se havia algum salva-vidas por perto. Afinal, a gente mergulha para sentir a água, para sentir o mar, não para evitar o mar. Do mesmo modo ninguém ama para evitar amar, o medo de amar é o oposto do amor. É que nunca me satisfez ficar na beira da praia, molhando apenas os pés e vendo as ondas passarem, eu sempre precisei fazer parte, estar dentro, me deixar levar. A segurança em um mar de amor não está fora, não está em nada que se compra, em nada que se use, está apenas em estar dentro, disponível, nadando, amando, respirando. É claro, é preciso saber nadar, saber amar, o que só se aprende nadando, amando....

Eu, que muitas vezes tentei me aproximar de você, que te cuido enquanto você nada, não recebi nada, não em troca, mas como motivo para descobrir algum sentido para continuar aqui. Tenho a séria mania de gostar de nadar com as pessoas que eu amo, e não de observá-las desbravando oceanos. Sigo junto, sem ter medo e sem pensar nas consequências, mergulho de cabeça, nada raso me permite nadar. Meu estilo é me entregar nas relações.

Mas você tinha medo, não de amar, não de nadar, mas de me amar, de nadar comigo. Segurei tua mão e pedi que viesse comigo, que me ensinasse, eu queria aprender a nadar com você. Mas você com seu medo preferiu não se envolver. O que você não percebeu é que você se foi, mas eu continuei ali, nadando, e levou algum tempo para que eu percebesse meu sonho solo, meu nado desincronizado de um coração agonizado. Doeu, machucou, alguma parte em mim se foi. E, se não era a sua intenção eu me afogar, então, por que soltou a minha mão?

Meu querido, eu não queria, mas você quis não me querer. Sua escolha foi alguma que eu ainda não sei, foi talvez a aparência, a tranquila comodidade de quem não encara que a calma do mar vem do som feito pela força da correnteza. É preciso correr o risco, é preciso apostar, é preciso mergulhar, é preciso amar, é preciso nadar.

Eu preciso seguir a correnteza e, antes de tudo, lhe desejar coragem para viver um amor. Te desejo agora a essência, a entrega para deixar a covardia, a vontade de querer ser mar, de saber amar. Nunca deixe de tentar por não saber o que vai ser, com medo de deixar de ser. Algumas amizades precisam virar amor, pois o rio precisa virar mar. Mar que não sabe de onde vieram todas as águas que por ele correm, nem conhece o destino certo delas depois que chegam, mas ainda assim está lá, sendo mar, deixando de ser rio, preenchendo um vazio simplesmente por abrigar. Pode ser assim pra mim, começar sem motivo, terminar sem se perceber.

Eu não sabia bem nadar no seu mar e acho que errei esperando que você me ensinasse. Como esperar amor de quem ama o mar e não quem nada nele ao seu lado?

"Amor, você me manteve vivo. Enquanto eu estava na água, eu fiz um trato com Deus. Se Ele me deixasse ver seu rosto mais uma vez, nunca mais pediria nada a Ele. Bom, Ele cumpriu a parte Dele e eu vou cumprir a minha, irei embora sem pedir nada..."
(Pearl Harbor - 2001)


*Crônica escrita por Ruleandson do Carmo e Cristina Ramos, leitora do blog.

17 dos desabafos - DESABAFE!:

  1. Oi, Ru

    Há mto não comento, mas estou sempre aqui e seus textos sempre perfeitos.

    mas hj estou aqui não só pra te elogiar, mas gostaria que lesse algo: http://crisxavz.blogspot.com/2010/03/feliz-des-aniversario.html

    bjos ;)

    ResponderExcluir
  2. Cris,
    Muito obrigado! Quando der tempo, vou ler seu texto, ok? ;) Quando quiser me sugerir alguma leitura prefiro que me envie por e-mail, fica melhor para eu administrar, te retornar e também evita que pessoas que só comentam para divulgar links façam mal uso dos espaço para nossos desabafos, tá? :D Beijos, obrigado!

    ResponderExcluir
  3. Que lindo, mais lindo ainda que uma leitora participou.

    ResponderExcluir
  4. Fala Rules!!!

    Sabia que pra nadar bem, é preciso entregar seu corpo à densidade da água? As pessoas que se afogam, geralmente, entram em pânico, contraem todos os músculos e acabam afundando.

    Para o bem ou para o mal, no âmbito afetivo, eu também sou do tipo que se lança sem reservas. E isso tem me custado muito caro. Mesmo assim, minha crença é que, se é pra ser feliz, tem que ser feliz MESMO! e se é pra sofrer, sofra até a última gota!

    Mas não julgo aqueles que se limitam a molhar apenas os pés. Motivos eles têm.

    Abraços e parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Lohannn,
    Legal, né? A Cristina escreveu com uma idéia de texto no ano passado, no fim de dezembro de 2009. Eu li, gostei e propus a ela que escrevêssemos juntos, ela disse que era um "sonho" e terminamos no texto que hoje publiquei! Que bom que gostou!

    --
    Alan,
    Sou da mesma filosofia da intensidade, moço, felicidade total e se for pra sofrer que a gente consiga encarar de frente a dor. Eu também entendo quem só molha os pés, o principal na relação é a sinceridade, sabe? Se quer só "molhar os pés" avisa ao outro, não acho certo é ver e permitir o outro ir ali, cada vez mais avançando no "mar" e ficar quieto e depois "morrer na praia". Nadar, ops, amar é foda! (risos) :P

    Muito obrigado!

    ResponderExcluir
  6. " Algumas amizades precisam virar amor, pois o rio precisa virar mar. "

    esse meu coração gosta de se jogar no mar, quase se afogar, me deixa assim .. cansada de tanto nadar, nadar, nadar e morrer na praia.
    Hoje menos que ontem e mais do que amanhã !
    Um dia desabafei aqui que já não sabia mais como tratar uma pessoa, se como meu amigo ou como meu amor, e que sentia que não tinha nenhum dos dois. =/
    A resposta veio Ru ... dura e cruel ! E eu sei que foi melhor assim, porque eu posso nadar incansavelmente, por alguém que eu queira bem, que eu acho que vai me querer bem também, que está disponivel e disposto a nadar comigo incansavelmente tbm ... e quanto ao meu amigo, ele vai estar ali, nadando também mais em uma outra correnteza, em uma direção um tanto diferente da minha ... mas ele vai estar inquestionavelmente do meu lado agora eu sei disso, assim como ele agora tbm sabe que eu estarei do dele.
    E como vc disse querido é preciso sempre ser claro, e sobretudo nadar sem medo. :D

    Como Sempre Lindo o Texto. PARABÉNS,e OBRIGADA (L

    ResponderExcluir
  7. Nine,
    Eu que te agradeço por vir até aqui e compartilhar seus sentimentos conosco! Vou te responder com a letra de uma música que amo: "e, talvez, não seja assim tão fácil, talvez, assim seja melhor, e, talvez, cada um reme pra um lado, mas os mares que te cercam, talvez, sejam iguais ao meus e a gente segue em frente..." (Junior Lima) ;)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Ru, posso chamá-lo assim? Já me sinto meio íntimo tamanha a identificação que tenho com seu blog e todo o sentimento que expressas nele. Sou um eterno romântico e eterno apaixonado e amo tudo que fala da alma, das emoções, que toca o meu coração como esse cantinho tocou. Assim que descobri seu blog fiquei uma tarde inteira lendo compulsivamente suas postagens, me apaixonei pela sensibilidade, delicadeza e franqueza. E me identifiquei tbm ao saber que apesar de escever magistralmente sobre o amor - e acredito eu, sobre qualquer outro assunto tbm - vc nunca tenha vivido um relacionamento, pois eu tbm gosto mto de escrever sobre esse sentimento universal e tão particular a cada indivíduo, mas nunca vivi um relacionamento de verdade, já amei mto, mas nunca na prática, nunca com reciprocidade... Enfim, acho q temos mto mais em comum, mas só saberemos com o tempo, através de nossos escritos.
    Estou te seguindo.

    Abços!!!

    ResponderExcluir
  9. Seu Blog está lindo e interessante. Passa no meu? *-*

    ResponderExcluir
  10. RU, sem palavras para poder explicar a honra de poder ter colaborado na escrita dessa linda crônica! Mto obgdo pelo carinho! =D

    ResponderExcluir
  11. esdras b,
    Pode sim me chamar de Ru, fique à vontade! :P Me sinho honrado com suas palavras e espero merecê-las... Ainda não namorei, mas amar não depende de namoro, você certamente, pelo que contou de si, deve me entender bem... Obrigado por me seguir, depois me envia e-mail com seu blog! Abraço! :)

    --
    Vanessa,
    Muito obrigado! :D Passo sim, me envia o endereço por e-mail que passo! ;)


    --
    Cristina,
    Eu que te agradeço pelo carinho de sempre comigo, pela confiança, por tudo... Muito bom poder contar com leitores fiéis como você! :D Obrigado!

    ResponderExcluir
  12. Ru, você me fez chorar, sabia? rs.
    Ultimamente ando nesse dilema, não deixar me envolver com medo de onde o "mar" vai parar, ou até mesmo me enganar dizendo que estou bem com o "rio" quando na verdade tenho medo de deixar esse rio virar um mar, então fico na beira, com os pés dentro e o resto do corpo todo fora, sem me deixar levar! Obrigada pelo texto, não teve hora melhor! Beijos

    ResponderExcluir
  13. Saionara,
    Chorar é bom, de vez em quando, né? Alivia! :D Coragem e força aí para ser mar! Beijão e obrigado!

    ResponderExcluir
  14. "Eu preciso seguir a correnteza e, antes de tudo, lhe desejar coragem para viver um amor"

    voce sempre diz tudo!!
    continuo fã, incondicional

    ResponderExcluir
  15. Débora,
    Oh, linda, quem sou eu para ter fã, mas obrigado! Beijos! :D

    ResponderExcluir
  16. tou sofrendo por um idiota que eu amo, e nunca iría me fazer feliz ;//

    ResponderExcluir
  17. Anônimo,
    Como eu disse em um outro texto meu: "amar um idiota também é ser idiota" (Ruleandson)! ;) Pense nisso...

    ResponderExcluir

Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Fale com o blog

Envie o seu email para o blog.

Nome E-mail * Mensagem *