Pesquisar este blog

28 fevereiro 2010

Marcadores: ,

Entrevista - Amor, amor próprio e bem-estar psicológico (Solange Cambraia Lopes)

Compartilhar
Amor sim, egoísmo não

Filme Brilho Eterno de uma mente sem lembranças
Recorte do cartaz de Brilho Eterno de uma mente sem lembranças (2004)

"Posso dizer que fui movida pelo amor", explica a formanda em psicologia Solange Cambraia Lopes. Aos 47 anos ela iniciou o curso de psicologia, no qual se forma, com o objetivo de conhecer melhor o comportamento e o psiquismo humano, para "contribuir de forma mais incisiva na diminuição do sofrimento psíquico das pessoas e, especialmente, de uma pessoa que amo muito", conta Lopes. Em entrevista ao blog, ela fala sobre seus estudos acerca de questões como amor e bem-estar e avisa "achar que não precisamos de ninguém para ser feliz é pura ilusão".


O tão falado amor-próprio. Como desenvolvê-lo e não confundí-lo com egoísmo?
S: Amar a si mesmo é um pressuposto fundamental para se ser feliz, embora o amor próprio, muitas vezes, seja confundido com ser individualista e egoísta. O amor-próprio é essencial para que nós nos lancemos no mundo com coragem e confiança. Não amar a si mesmo é sentir-se inferior aos demais e, dessa forma, dificilmente o indivíduo conseguirá amar verdadeiramente o outro. Essa consciência do amor-próprio se desenvolve a partir de uma profunda reflexão acerca de nossas qualidades e defeitos. Já o egoísmo (ego + ismo) é o hábito ou atitude do indivíduo de colocar seus interesses sempre em primeiro lugar, em detrimento das demais pessoas com as quais se relaciona.



O amor romântico prega o amor incondicional e com isso há quem pense que não aceitar tudo que o outro faz não seria amor. A senhora concorda?
S: Considerando que toda relação amorosa é dialética, essa seria uma atitude passiva na qual a pessoa não se posiciona. Pode-se dizer que ela se anula. Dessa forma, reprime seus anseios e desejos em função de ser amada. É um mecanismo de defesa para indivíduos inseguros e com baixa auto-estima.
O modo que amamos são repetições, mesmo que inconscientes, de experiências anteriores"

Como as questões relacionadas ao amor podem impactar o lado psicológico do indivíduo?
S: O amor é a mola mestra da saúde psíquica do indivíduo. A relação de amor se forma a partir do momento em que o bebê nasce e recebe os primeiros cuidados maternos. Esses cuidados não são apenas o alimento e a higiene, mas o afeto, o toque, o olhar, o sentir-se amado. Essa experiência da conexão mãe-filho, de forma saudável, é fundamental para a saúde psíquica do sujeito.



E por que um grande número de pessoas atribuem a felicidade ao fato de ter ou não um parceiro?
S: Desde o início, somos programados para amar, portanto, não queremos viver só. Precisamos do outro, é o outro quem diz quem somos. Como disse, anteriormente, precisamos nos sentir amados. Ainda que a experiência de amar possa causar dor, pois quanto maior o amor maior a dor, mesmo assim estamos sempre em busca de uma relação de amor. É uma repetição compulsiva na natureza humana. Um desejo de repetir o que fizemos antes, uma tentativa de restaurar um estado de satisfação anterior do ser. Assim, aqueles a quem amamos e o modo que amamos são repetições inconscientes de experiências anteriores.

Filme Brilho Eterno de uma mente sem lembranças
Cena de Brilho Eterno de uma mente sem lembranças (2004)


Por outro lado há quem pense que "não precisa de ninguém para ser feliz". Há algum risco nesse pensamento?
S: Quando o indivíduo diz que "não precisa de ninguém para ser feliz" pode estar usando isso como mecanismo de defesa, ele teme sofrer, pois sabe que toda relação envolve amor e dor. Por outro lado, tem pessoas narcisistas, ou seja, se acham auto-suficientes e pensam que não necessitam dessa permuta de afetos. Pura ilusão.



Há pessoas que entram em depressão por amor, com um amor não correspondido, ou com o término de uma relação, por exemplo. Há algum modo de se perceber que a pessoa precisa de ajuda psicológica para lidar com as relações?
S: A perda é um pressuposto básico da existência, porém lidar com ela é um fato que exige muito do sujeito. Viver é um processo constante de perder e ganhar, ganhar e perder. Quando perdemos algo ou alguém, faz-se necessário elaborar o luto. Obviamente com dor, sofrimento e no tempo de cada um. Caso o indivíduo adoeça, faz-se necessário um maior cuidado, pois ele pode se tornar melancólico tendo sua vida pobre de energia afetiva, pois uma parte dela continua presa no outro que morreu ou que não o quer mais.
Alguns pedem conselhos ao outro somente para se algo der errado ter a quem culpar"

Muitas vezes as pessoas desabafam com os amigos e recorrem aos conselhos deles para solucionar seus problemas amorosos. Isso pode ajudar mesmo as pessoas ou há riscos nesses aconselhamentos?
S: Falar sobre um problema ou conflito é sempre bom. Ter alguém para escutar é melhor ainda. Só o fato de você estar ouvindo o que você próprio está falando já é algo positivo, pois alivia as tensões emocionais que o conflito causa no sujeito. Quanto aos riscos do aconselhamento, depende de quem os recebe e de quem os dá. Tem pessoas que não querem se posicionar ou fazer escolhas, então pedem conselhos para o outro, pois se não der certo ele terá a quem culpar.



Como saber se o problema é no relacionamento ou no modo de amar do indivíduo?
S: O problema central, em geral, é a relação amorosa. Seja com os pais, com irmãos, amigos ou com o parceiro. Muitas vezes, seguimos padrões de relacionamentos ditados pela cultura. Porém, há que se considerar a história de vida do sujeito que é singular, bem como a sua subjetividade para poder opinar. Não se pode generalizar.

19 dos desabafos - DESABAFE!:

  1. Cara eu gostei muito do post.
    Têm pessoas que exageram em relação ao ''amor próprio'',e acabam sendo egoístas!

    ResponderExcluir
  2. Thalita Souza,
    Fico feliz que tenha gostado! :D O objetivo é justamente levar à essa reflexão, pois acredito que precisamos balancear tanto o nosso amor-próprio quanto o tanto que amamos o outro, para manter nossas emoções equilibradas e vivermos em sociedade de modo melhor. :D Beijos!

    ResponderExcluir
  3. :D Nossa amei essa leitura, tenho q agradecer pq faço psico e pode ter certeza q o tempo q estive por aki hj m ajudou no crescimento cultural dos estudos... É sempre bom aprender c/ outros profissionais...Mto Obrigado..
    beijo boa semana...

    ResponderExcluir
  4. Janinha Maciel,
    Que coisa ótima ler seu comentário, mocinha! Bom demais saber que de certa moda as entrevistas com psicólogos ajudam quem estuda na área! Obrigado! Beijão e ótima semana para você também!

    ResponderExcluir
  5. Olá gostei do seu lugarzinho, e ja estou seguindo!
    Que hoje seu dia seja especial, tenh uma semana fantástica!
    com carinho.
    HANA
    venha me visitar quando quizer.

    ResponderExcluir
  6. Linda Carioca,
    Que bom! Obrigado! :D

    --
    Hana,
    Bem-vinda e volte sempre! Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Tudo bem?

    Gostei realmente do que vi, por aqui.

    Seu blog é excelente e eu não o conhecia.

    Voltarei mais vezes para detalhadamente poder com calma , ver o que faltou.

    Tenho blogs de humor e caso deseje fazer uma visita ficarei muito honrado.

    Um abração carioca.

    ResponderExcluir
  8. ATUALIZA o blog :~ não me mata de espera :/

    ResponderExcluir
  9. Anônimo,
    (risos) :P Hoje meia-noite, tive uma semana corrida e me esqueci de programar os posts!

    ResponderExcluir
  10. cadeee? nem atualizou :~

    ResponderExcluir
  11. Anônimo,
    Desculpa, semana atribulada, tive que dormir, acordar sábado bem tarde e agora vou atualizar com notícias e crônica na semana que vem! Beijos e obrigado por sentir falta das atualizações! :D

    ResponderExcluir
  12. Ótima entrevista! Bem interessante.

    ResponderExcluir
  13. RU, cara, preciso desse desabafo em meu blog rs. Vc me autorizaria a colocá-lo? Com referência, LÓGICO, créditos e parabéns à você! Gostei muito do post e, também, pela analogia com o filme exposto, pois faço psicologia e coisas relacionadas ao comportamento humano em cinema e literatura são fascinantes, você concorda?
    Cara, abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  14. Ronaldo DeBoer,
    Claro que pode republicar em seu blog, com os créditos, será uma honra e prazer! :)
    Também gosto muito de refletir a partir da arte, muito! :D
    Abração e sucesso para você também! Obrigado!

    ResponderExcluir
  15. Olá será que essa forma de pensar dos Psicólogos em relação aos temas "auto-estima", "amor próprio", "relação amorosa", "rejeição", "bem-estar", não é contraditória,"... desenvolver amor próprio a partir de uma reflexão profunda sobre quem nós somos, qualidades e defeitos...";
    "...Precisamos do outro, é o outro quem diz quem somos..."
    Psicólogos são bons em estudar teorias, e recorrer a elas para explicar comportamentos, mas muitas vezes a questão é que tem dificuldade de fazerem abordagens corretas em emoções ou idéias profundas no inconsciente das pessoas para, como afirma a psicóloga, "ajudá-las".Como é abordado no filme "A Origem", uma ideia simples introduzida no inconsciente, pode se desenvolver de forma profunda e definir uma Pessoa.

    ResponderExcluir
  16. Acredito que é natural sentirmos vontade de buscar relacionamentos amorosos, após conhecer quem nós somos e nos reconhecermos, sentir vontade de conhecer quem o outro é, vontade de se envolver afetiva e sexualmente, compartilhar experiências, onde quem cada um é complementa a relação amorosa, mas não acredito que quando a vontade se torna necessidade essa busca é real, uma vez que isso possa nos definir como na afirmação da Psicóloga Solange("...Precisamos do outro, é o outro quem diz quem somos...").

    ResponderExcluir
  17. Muito bom e importantíssimo para o nosso bem-estar!

    ResponderExcluir

Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Fale com o blog

Envie o seu email para o blog.

Nome E-mail * Mensagem *