Pesquisar este blog

31 outubro 2009

Marcadores: ,

Entrevista - Os segredos do casamento (Alexandre Bez)

Compartilhar
Por que as pessoas casam e por que elas se separam

Filme Casamento gregoRecorte do cartaz de Casamento grego (2002)

Casar é o sonho de nove entre cada dez mulheres, e não é preciso recorrer a nenhum instituto de pesquisa para confirmar tal constatação, basta observar o modo como elas organizam sua vida, para ter, finalmente, o grande dia. Mas, entre os homens, o casamento, geralmente não é uma prioridade. De acordo com o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 2007, para cada quatro casamentos registrados no Brasil, um terminou em divórcio. Entretanto, curiosamente, o número de pessoas que se casam no país tem aumentado a cada ano. "A instituição casamento é ainda a mais importante de todas", afirma o psicólogo Alexandre Bez, especialista em relacionamentos pela Universidade de Miami e em ansiedade e pânico pela Universidade da Califórnia. Nessa entrevista, o psicólogo e analista, que atende em consultórios desde 1993, diz que o casamento, ao contrário do que muitos pensam, não possui o poder de melhorar as relações.


Segundo o IBGE o número de divórcios no Brasil aumentou nos últimos anos, mas aumentou também o número de novos casamentos. Mais casamentos não dão certo e ao mesmo tempo mais pessoas se casam. Por quê?
A: A instituição casamento, é ainda a mais importante de todas que existem. Tanto é verdade que em separações judiciais há a obrigatoriedade da presença do casal e em casos de pensão alimentícia, para os filhos, o casal estando de acordo, não há a obrigação deles comparecerem, pois é o casamento que dá o aparato e a sustentabilidade para que qualquer sociedade exista. Tem primeiro a cobrança da sociedade que vai de acordo neste sentido. As próprias mulheres são criadas desde cedo na expectativa de ter um casamento, isso colabora em aumentar esse desejo que é muito forte e crescente dentro do sexo feminino. Existe também o sonho da comemoração, da festa, enfim, existe pressão até pela industria do casar que movimenta mais de R$ 200.000.000,00 (duzentos milhões de reais) por ano só em SP.



O modelo atual de casamento está ultrapassado, doutor?
A: Caro, o modelo de casamento não está ultrapassado, o que ocorre é que as pessoas perderam a vontade de tentar e sentem-se acomodadas na relação. Este é o fator essencial pelo qual os casamentos não estão dando muito certo. Uma outra opção é a união estável para ver se vai dar certo ou ainda casais que se casam e preferem, por inúmeras razões de cunho psicológico, ter as suas próprias casas independentemente. Lembrando de que em psicologia não há regras, e o que pode ser útil a um indivíduo pode não servir ao outro.


Casamento não estraga nada! O que estraga a relação é a imaturidade emocional presente nas pessoas"

Algumas pessoas passam por cima de problemas no relacionamento afirmando que "quando casar melhora". O casamento teria o poder de, por si só, resolver algum problema do casal?
A: Não, jamais, a situação deve ser resolvida impreterivelmente de maneira prévia, pois posteriormente a situação tende só a piorar de maneira significativa, já que não houve a incisão na hora correta. O casamento não possui esse poder de melhorar as coisas, até porque quem faz o casamento é o casal, e a atitude de mudança deve partir deles.

Filme Noiva em fuga
Cena de Noiva em fuga (1999)


Em contrapartida, há quem diga que "casamento estraga tudo". Por que há quem tema tanto se casar?
A: Veja, Ruleandson, casamento não estraga nada! Dentro dos compêndios de psicologia ficou mais do que evidente a importância do ter alguém, do casar e constituir uma família, o que estraga é a imaturidade emocional presente nas pessoas que contrariam o matrimônio, assim como qualquer deficiência de personalidade das mesmas. As que falam muito mal é porque podem ter tido alguma experiência desagradável ou não sabem lidar com a frustração gerada numa separação, ou ainda não sabe dividir, escutar e principalmente compartilhar. O casamento é tão sério que em separações cansei de ter casos no consultório, de pacientes com síndrome do pânico provocada apenas pela separação, pelo término.



Antes de se casar, há alguma dica para saber se o relacionamento vai dar certo?
A: Várias! A convivência é a melhor, como pequenos passeios, viagens, para quem puder viajar, observar o gosto do outro e mostrar o seu, a participação em reuniões familiares de ambos, explorar as opiniões a cerca das coisas, sentir como se dá o carinho, como é a atividade sexual, a postura dos envolvidos. São muitas dicas, inclusive, abordo a relutância do indivíduo do sexo masculino em se casar assim como suas fragilidades e dificuldades em um livro que estou terminando com uma jornalista intitulado "Ele não quer se casar".


Namorar para ver se vai dar certo pode funcionar mais do que o ver se vai dar certo para depois namorar"


Há uma peça de teatro que esteve recentemente em cartaz pelo país com o título "Não sou feliz, mas tenho marido". Na opinião do senhor, as pessoas se casam porque se amam ou para provar algo à sociedade?
A: Assisti a peça, muito boa, porém ocorre a percepção nítida e até um pouco tímida de ser ela a expressão da frustração em ter terminado. Não há como responder sua pergunta, pois cada um casa por diversos motivos, desejos e anseios e se forem inconscientes fica mais laboriosa a tarefa de descobrir o por que de se casar, há muitos elementos sociais, culturais e psicológicos envolvidos.



Geralmente, antes de se casar as pessoas namoram, mas hoje até os namoros ocorrem muito rapidamente, as pessoas se conhecem e já namoram em poucos dias. O que o senhor acha melhor: ver se vai dar certo para namorar, ou namorar para ver se vai dar certo?
A: As duas podem funcionar, não há regras, mas pela experiência de consultório, a segundo possibilidade é a mais correta, funcionando de uma maneira prática.



No começo da relação ainda não conhecemos bem o parceiro, mas ficamos muito apaixonados, somos capazes até de aceitar um pedido de namoro ou casamento na primeira noite. Nesse início estamos apaixonados por nós mesmos, pela outra pessoa ou pela possibilidade da relação?
A: Quem está apaixonado consigo mesmo não consegue embarcar em nenhum outro relacionamento porque o ego não permite, a possibilidade da relação encanta, mas é a paixão que irá decidir que rumo tomar, se aceita o pedido, ou não o faz. Mas lembrando que paixão passa muito rápido e o resultado pode ser mortífero, gerando arrependimentos, já que o apaixonado não tem os sentidos operando como deveria.

11 dos desabafos - DESABAFE!:

  1. Um dia eu pretendo casar. *--*
    Adorei ru, beijo.

    ResponderExcluir
  2. Lohann.,
    Quero ser convidado! :P Obrigado e beijos!

    ResponderExcluir
  3. Não há muita coisa na noite quente
    Restam lembranças
    E sobram vontades.

    AL

    ResponderExcluir
  4. Arséne Lupin,
    Tá, mas tipo, e a entrevista? :o

    ResponderExcluir
  5. Acredito que alguns pressupostos sobre casamento estão fora do tempo mesmo. E que é necessário se questionar.Os papéis de cada um e as expectativas com relação ao comportamento do outro, o que é liberdade e desrespeito, etc.

    Concordo que o que acaba a união de um casal é a falta de recurso emocional para lidar com as diferenças e fazer negociações conciliatórias onde todos saiam ganhando. Homens e mulheres ainda querem dominar um ao outro...Controlar, ter poder um sobre o outro.

    E isso é um empecilho para manter a união por muito tempo, mesmo quando há afeto.

    Gostei da entrevista.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Nanda Botelho,
    Também acho que alguns ideais precisam ser revistos, mas acho que o básico é isso o problema não é o amor, mas o modo de amar! Obrigado e abração! :D

    ResponderExcluir
  7. Nao entendi bem.
    isso é a tradução de uma entrevista ? ou esse psicologo nao foi a faculdade? nunca ouvi tanta baboseira, em que "compêndio de psicologia" este ser encontrou que é importante ter alguém, casar e constituir uma família ? acho que a superficialidade das expressoes nao demonstram sua opinião, apenas fazem coro a um senso comum.

    ResponderExcluir
  8. Anônimo,
    Conforme dito na entrevista, "esse" psicólogo é o Alexandre Bez, formado em psicologia e especialista em relacionamentos pela Universidade de Miami e em ansiedade e pânico pela Universidade da Califórnia. E você é o ilustre quem mesmo? :P

    ResponderExcluir
  9. Texto absolutamente real, porque no fundo o que as mulheres realmente sonham com o casamento, sonham com esse alguem especial que sera o companheiro, e esta eh uma atitude absolutamente normal e porque nao dizer sadia? O ser humano ama, quebra a cara, e esta ali, pronto para outra, sempre acreditando que o amor esta ali, na proxima esquina. E realmente, o casamento em si nao estraga a relacao, o que estraga eh a imaturidade e as expectativas que ambos colocam no parceiro. Namorar eh uma delicia e imaginar-se casado com quem voce ama eh melhor ainda, mas o morar junto, o dia a dia, oa afazeres, as obrigacoes chatas estao ali e precisam ser feitas. Quando se namora, depois de uma briga cada um vai para a sua casa. Estar casado eh virar as costas na mesma cama, nao importa se voce esta a fim de estar ali ou nao. Ninguem muda apos o casamento, nem para melhor nem para pior. O que mudam sao as nossas visoes e expectativas.

    Escrevi um artigo chamado Receita para um casamento feliz, acho que vale a olhada!

    Abracos,
    Sani
    Terapia Cotidiana - Buscando Harmonia e Bem Estar

    ResponderExcluir
  10. Sani Hadek,
    Muito obrigado por terem comentado. Entrarei em contato com vocês para futuras entrevistas. Abração! :D

    ResponderExcluir
  11. faço faculdade de psicologia e concordo super com o que está escrito. Algumas pessoas casam por amor, outras para seguirem a tradição. Infelizmente, muits gente já não sabe o valor de um casamento... Quantas vezes ja ouvi o famoso' se não er certo separa'... Como se a vida fosse um parque de diversões...

    ResponderExcluir

Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Fale com o blog

Envie o seu email para o blog.

Nome E-mail * Mensagem *