Pesquisar este blog

02 setembro 2009

Marcadores: ,

Da hipocrisia sexual

Compartilhar
Sexo não é a medida

Filme O virgem de 40 anosRecorte do cartaz de O virgem de 40 anos (2005)

"Eu não tenho vergonha das coisas que eu sonho, eu me encontrei flertando com o limite do obsceno"
(Britney Spears)


Vamos fazer um pequeno teste? É simples, não tem nenhuma pergunta, já vamos direto às respostas parciais que dirão muito sobre quem você é.

1) Se você gosta de sexo e/ou transa com muitas pessoas você é: safado, veado, puta, sem vergonha, promíscuo, galinha, bichinha, dado, impuro, doente, compulsivo, garanhão, por fim, afastado de Deus.

2) Se você não prioriza o sexo em sua vida e/ou não transa tão facilmente com qualquer um você é: puritano, santinho do pau oco, Sandy, retrógrado, ultrapassado, mal humorado, mal amado, por fim, um E.T.

Nada gera tanta preocupação nas pessoas quanto a sexualidade alheia. Elas querem saber se você é gay, hétero, bissexual, ou qualquer outro rótulo, e nunca se conformam se você responde "eu sou eu". Ninguém tem o direito de apenas ser, é preciso se definir a todo momento, e mesmo que você não se decida é melhor olhar bem para as suas costas, pois alguém já pregou uma plaquinha te definindo por você.

Vivemos em uma sociedade na qual não importa o que você faz na vida, mas importa o que você faz na cama (não vou nem comentar o que dizem se você transa fora da cama). Não importam suas ações durante 23 horas de cada dia, mas importam suas posições preferidas durante a uma hora de sexo dos dias em que você transar. Importa se você dá ou se você come, importa se seu pau é grande ou pequeno, importa se você é virgem ou experiente, importa se você engole ou cospe, importa se você curte apanhar ou prefere recitar poemas enquanto transa. Não importa quantas pessoas você já ajudou ao longo da vida para medir o seu caráter, a sua contribuição para a humanidade, mas importa com quantas pessoas você foi para a cama, não importa se você faz o bem até para um desconhecido, mas importa se você transa com quem não conhece tão bem assim, tudo isso, para avaliar se você presta ou não presta.

Uma pausa, por favor! Que mundo é esse? Por que com quem eu faço sexo interessa tanto a alguém? Por que o número de pessoas com quem faço (ou não) sexo define algo? Não que eu defenda sair por aí transando com tudo e com todos, longe de mim, mas se alguém faz isso qual o problema? Usando camisinha e não me convidando para a festinha (ok, se for alguém bonito, pode convidar): se joga, que eu e nem ninguém temos nada a ver com isso! Agora, se alguém prefere ir para cama somente com alguém que ama, qual a objeção? Uns querem ser sempre solteiros, outros sonham em se casar, e daí? Se você não consegue controlar seu apetite sexual há pessoas que conseguem e não precisam transar tanto quanto você! O que te incomoda nisso? As pessoas não precisam ser idênticas a você para ter valor, e, não necessariamente, aqueles que são diferentes merecem o seu desprezo.

Se cada um se preocupasse mais com coisas que realmente são preocupantes teríamos todos um mundo melhor e também mais prazeroso, um mundo de menos farsas. As pessoas precisam esconder seus desejos porque serão sim julgadas, e não adianta o papo de "eu sou o foda", aquela conversa de "não tô nem aí para o que dizem a meu respeito" porque está sim, todos nós estamos. O que dizem de nós não nos muda, é fato, mas isso não quer dizer que não nos magoe. Tem mulher que é obrigada a esconder que quer transar mais com o marido porque ele pode achar que ela é "safada", aí o marido acaba sentindo falta de sexo e procura na rua. Tem gente que é obrigada a fingir ser heterossexual e aí casa, constrói uma família sob farsas e a mulher chega em casa e encontra o cara na cama com o jardineiro. Há homem que beija homem e diz ser hétero. Claro, hétero é como católico, todo mundo é. Diz então "sou hétero não praticante".

Certamente, há os que se escondem por opção, mas a verdade é que a maioria se esconde porque de outra forma não encontrariam espaço nesse mundo de hipocrisia e de repressão no qual, infelizmente, vivemos. Isso sem falar no machismo que ainda predomina: quem transa com todas no galinheiro é o galo, mas o apelido pejorativo para definir alguém promíscuo é "galinha", quem faz sexo com todas no curral é o boi, mas o nome para definir os mais safados é "vaca", sempre o ruim é no feminino. Ainda prevalece a criação do "segura suas cabras porque meus bodes estão soltos", ainda há quem pensa que só o gay passivo é gay, há quem pensa que gay não é homem (detesto quando dizem, "não, fulano não é gay não, ele é homem"), há pessoas que ainda acreditam que os homens sentem naturalmente mais vontade de transar do que as mulheres, masturbação continua sendo vista como algo vergonhoso, querer transar com mais de uma pessoa é tido como o cúmulo da safadeza, e por aí vai.

Olha, é tanta gente burra, frustrada, mal comida, mal dada, insatisfeita, que preciso usar a expressão de um amigo meu para definí-las, com sua licença, mas "tem gente que é uma punheta que não goza". E tem mesmo! Tem gente que é tão infeliz que precisa apontar o dedo para o outro e recriminar, rotular, julgar, quem transa demais ou quem transa de menos, para se sentir um pouco especial em um mundo de bizarros.

Chega dessa obsessão, preocupe-se com a sua vida sexual, chega dessa de dizer que o que o outro fez é pecado, chega dessa de dizer que o outro é puritano, chega dessa de viver a vida do outro. Eu não me importo com a vida sexual de ninguém, eu apenas abomino a falsidade, quem não se assume! Odeio gente que transa com desconhecidos e se faz de santo, odeio gente que não transa há anos e se faz de puto, odeio gente que diz que ama só para levar para a cama, odeio quem não se previne, e só. Além disso, admiro a coragem de quem se entrega de cabeça aos seus desejos sexuais e tem uma vida mais agitada, do mesmo modo que admiro a coragem de querer um só daquela pessoa que se satisfaz com o "papai e mamãe" feito com quem se ama. E no mais, cada um com seus problemas e soluções! A vida não será nem menos nem mais fácil para "putos" ou para "puritanos".

Agora vamos às respostas finais do teste.

1) Para você que é rotulado o que falo é: seja você mesmo, não permita que te mudem (mas, fique atento, às vezes quem você acha que é já é você modificado por eles, concentre-se em sua essência!). Orgasmos duram apenas alguns segundos, enquanto sua consciência é eterna, então se você realmente não se importa, vá e faça, agora se você se importa, se você se culpa, se preserve um pouco.

2) Para você que rotula o que falo é: quando resolver pensar na vida sexual de alguém me faça uma gentileza: VAI TRANSAR QUE PASSA!

"Relaxa e goza"
(Marta Suplicy)

23 dos desabafos - DESABAFE!:

  1. 2) Se você não prioriza o sexo em sua vida e/ou não transa tão facilmente com qualquer um você é: puritano, santinho do pau oco, Sandy, retrógrado, ultrapassado, mal humorado, mal amado, por fim, um E.T.


    Ainda sou chamado de retrô. KKKKKK

    O final de matar de rir, adorei ru.

    ResponderExcluir
  2. Gostei,,,teu texto é perfeito e diz muito da hipocrisia que vivemos...
    o interesse sexual pela vida do outro esta acima de seus verdadeiros valores..
    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Pedro,
    Retrô é não ter assunto melhor que a vida sexual alheia, né? (risos) Que bom que gostou e pode dar risada! Obrigado! :P

    --
    Olavo,
    Muito triste isso, não? Não vale quem você e faz, mas com quem você transa! Abominável!
    Mas bom saber que gostou da crônica! :) Obrigado! Abração!

    ResponderExcluir
  4. Bom texto... que bom ler o que vc escreve. Abraços

    ResponderExcluir
  5. Acabei de descobrir seu blog e gostei muito. Boa impressão da hipocrisia sexual.

    Abraço
    tati cavalcanti
    http://coffeeandhistory.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Simone,
    Bom mesmo é ler a opinião de você(s). Obrigado! :D

    --
    Uma de 32.,
    Que bom que gostou! ;) Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Muito bom adorei o texto amigo muito bem escrito.
    Todos os dias há um post novo lá em meu blog ficarei honrado com sua presença.
    "A verdadeira gentileza é perfeito conforto e liberdade. Ela simplesmente consiste em tratar os outros exatamente como você adoraria ser tratado".
    Tenha um excelente final de semana.

    Abraços forte

    ResponderExcluir
  8. Príncipe encantado,
    Obrigado! :D Excelente fim de semana a você também. Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Misericordia, vou tentar postar pela terceira vez!
    Ru, to meio sumida dos comentarios, mas continuo fiel ao blog...
    E lendo isso tudo (aodrei, como sempre), é que continuo com minha frase preferida: se eu te der um gato, vc cuida das 7 vidas dele e deixa a minha UNICA em paz? hehehehe
    Bjs, amo vc!

    ResponderExcluir
  10. Quel Safar,
    Os comentários no blogger estão complicados mesmo! :)) Tenta postar pelo formulário antigo quando tiver problemas!

    Eu acho isso também, se o povo cuidasse da própria vida e não se preocupasse com o outro, e esse preocupar com o outro em todos os sentidos, com o que o outro achará dele e em como está a vida do outro.

    Beijos e não some!

    RU

    ResponderExcluir
  11. Amei o texto. A mioria dos textos desse tipo tratam apenas um lado da moeda: O preconceito sofrido por quem transa com todo mundo. Mas o seu fala tbm do que eu sofro, o de quem tem apenas um parceiro. Conheci meu namorado cedo nunca transei com outra pessoa (7 anos juntos). A maioria das pessoas age como se eu fosse sexualmente não realizada e fica insistindo para eu trair meu namorado e descobrir o que é "prazer de verdade". O mais engraçado é quando a pessoa descobre que eu adoro sexo anal (geralmente quando eu começo a dar dicas de como fazer sem doer) começam a apontar o dedo pra mim e dizer "a máscara caiu". Que máscara?

    Ninguém entende que terminar com alguém para ter a uma vida "mais agitada" é tão imbecil quanto ficar com alguém a força para chegar a um ideal de castidade. Não é para se forçar a fazer nada, basta ser você mesmo.

    Ps: Desculpa pelo comentário gigantesco, mas vc mandou "desabafar" rssss.

    ResponderExcluir
  12. Anônimo,
    Fico feliz que tenha notado esse diferencial na crônica, pois é justamente ele que eu busquei: falar das duas discriminações, o preconceito contra quem tem uma vida sexual mais agitada e o preconceito contra quem não gosta de tanto agito assim, pois é preconceito do mesmo jeito e da mesma categoria.

    Acho que é o que você disse e eu também concordo, acho que ninguém deve se forçar a nada e deve ser quem é, mas, claro, sempre buscando ser uma versão melhor de si mesmo, pois precisamos evoluir, e, o mais importante em uma relação (amorosa e/ou sexual), usar camisinha e deixar claro ao outro quem você é, para ninguém ser iludido.

    ResponderExcluir
  13. Eu tava pensando em algo assim, só não conseguia definir muito bem o que eu queria.
    Era algo com não me importar com atitudes consideradas promíscuas, tipo, tá e daí? vamos deixar as pessoas serem felizes e aproveitarem a vida do jeito que quiserem!

    Eu não tinha conseguido desenvolver direito esse pensamento, o teu texto me ajudou muito!

    Muito obrigada, ficou ótimo ^^

    ResponderExcluir
  14. Las Felinas y el gato,
    Obrigado! Agora, temos também que tomar cuidado, pois a linha entre nos chamarem de promíscuo e estarmos sendo mesmo pode ser tênue em alguns casos. Não defendo sermos promíscuos, defendo termos liberdade, mas com sabedoria, se dando valor e não tratando o outro, sem o consentimento dele, como objeto. ;) Beijos!

    ResponderExcluir
  15. Muito Bom! e isso é tudo

    ResponderExcluir
  16. FO-DA, não tem outra palavra que defina tão bem.

    ResponderExcluir
  17. Rótulos, rótulos, rótulos...
    Como simplificar a complexidade do ser, né?

    Seu texto reflete bem isso, Ru.
    Adorei! Você está cada vez mais "maduro"!!
    Me encanta ver isso acontecendo...
    Parabéns!

    bjo.

    ResponderExcluir
  18. Benildes Maculan,
    Oh, amiga, que isso, obrigado! E esse aqui tem um ano quase, hein? Devo ter amadurecido mais. (risos) Sempre carinhosa, obrigado! :D

    ResponderExcluir
  19. Gostei do seu texto. Muito inteligente, articulado e mente aberta. Parabéns! ^^
    Quem dera houvesse mais pessoas no mundo com sua mentalidade...
    Obrigada por ter postado sua crônica.
    É a primeira que eu leio, mas com certeza vou dar uma fuçada pelo site. ;)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  20. rafaelamb,
    Bem-vinda! Precisamos de menos pessoas hipócritas no mundo, urgentemente! :D Beijos!

    ResponderExcluir
  21. ADOREI O POST hoje precisava responder um leitor sobre o assunto e vc foi uma luz! muito obrigado, se quiser ver o meu :)

    ResponderExcluir

Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Fale com o blog

Envie o seu email para o blog.

Nome E-mail * Mensagem *