Pesquisar este blog

28 fevereiro 2009

Marcadores: ,

Entrevista - etiqueta sentimental (Carminha Ker)

Compartilhar
Bons modos como prioridade nas relações
Amigas com dinheiro
Recorte do cartaz de Amigas com dinheiro (2006): mais que portar-se à mesa
Quando encontrar o amor da sua vida dê quanto beijos quiser, na boca ou onde o casal preferir - dependendo, é claro, do local. No entanto, quando for cumprimentar um conhecido "dê apenas dois beijos no rosto, um em cada bochecha". É o que explica a consultora mineira de etiqueta social Carminha Ker. Ensinando bons modos de convivência há 18 anos, Carminha iniciou sua carreira na extinta escola Socila, e, atualmente, ministra cursos em empresas e dá aulas particulares. Para quem pensa que a modernidade e o mundo virtual dispensam regras de etiqueta a consultora avisa: "etiqueta é artigo de primeira necessidade. As normas devem permanecer nas conversas pela Internet". Nessa entrevista, ela esclarece algumas dúvidas básicas para evitar problemas e gafes, até mesmo, nos relacionamentos amorosos.

- Carminha, qual o papel da etiqueta nas relações humanas modernas?
C:
Etiqueta são regras de comportamento que foram elaboradas para nos auxiliar a saber como proceder em público. Etiqueta, boas maneiras e cerimonial, ao contrário do que muitas pessoas pensam, é muito mais do que elegância social, e não é privilégio só das altas elites, mas já faz parte do cotidiano de todos nós, nas ruas, salões, restaurantes, escritórios, em vários ambientes, não sendo mais considerado "artigo de luxo", mas artigo de primeira necessidade.

- Alguns dizem que "no amor e na guerra vale tudo". A etiqueta proíbe algo para o amor, há uma espécie de etiqueta sentimental?
C:
Sim. Alguns dizem que no amor e na guerra vale tudo, mas.... nem tanto. Mesmo que o parceiro seja maravilhoso, atraente e sensual, nada de ir direto ao assunto, pois uma abordagem sutil é sempre mais eficaz.

- No início de um relacionamento é comum querer impressionar o outro e ser bastante educado. A convivência, a intimidade leva as pessoas a esquecerem da etiqueta com o companheiro?
C:
Inúmeras vezes, sim. Com o passar dos anos de um relacionamento, as pessoas vão se descuidando de pequenos gestos de carinho, gentileza e educação. No entanto, não só dizer "por favor" ou "muito obrigado", mas muitas outras "palavrinhas mágicas" devem ter espaço não só no namoro, como durante todo o casamento.

"Quem 'entra' em um programa de bate-papo é quem deve cumprimentar, e ao sair, ao desconectar, é preciso se despedir"

- Hoje, o homem ainda deve puxar a cadeira para a mulher sentar à mesa, abrir a porta do carro, ou aguardar a mulher subir primeiro no ônibus?
C:
Sim, num restaurante o homem sempre deve puxar a cadeira para a mulher se sentar, pois este é um gesto de delicadeza e educação, caso ele não o faça, o garçom sempre tomará a iniciativa. Atualmente as mulheres levam os maridos ao trabalho, não havendo possibilidade da gentileza de abrir a porta do carro, porém, quando os dois saírem para algum programa o homem deverá abrir-lhe a porta do carro e ela com certeza se sentirá "uma lady". Quanto ao ônibus, o correto seria que os homens aguardassem que as mulheres entrassem, o que raramente ocorre.

- No caso dos relacionamentos homossexuais, um dos parceiros deve fazer esse papel de cavalheiro, protetor, ou esse cuidado ficaria em desuso?
C:
Neste caso não haveria necessidade, mas cada um deve agir de acordo com sua conveniência. As normas de comportamento foram testadas e modificadas através dos tempos, adaptando-as ao nosso estilo de vida, visando um bom convívio social no meio em que vivemos.

- Muitos casais e amigos conversam por mensageiros instantâneos na Internet (programas de bate-papo, como MSN). As regras de etiqueta permanecem nos contatos virtuais?
C:
Sim, permanecem! Portanto, quem "entra" em um programa de bate-papo é quem deve cumprimentar, pois quem chega a um local é quem cumprimenta, e ao sair, ao desconectar, é preciso se despedir, assim como deve ser feito em um ambiente físico.

- Em relação aos e-mails, todo e-mail recebido deve ser respondido?
C:
Atualmente a quantidade de e-mails recebidos ultrapassa em muito a nossa disponibilidade de tempo para respondê-los. Podemos sim, fazer uma seleção respondendo aos que nos forem mais importantes.

- Há alguma maneira mais indicada para convidar alguém em quem se está interessado para sair?
C:
Há sim. A maneira mais indicada, além do telefone, é convidar pessoalmente, porém se o convidado não estiver interessado em aceitar o convite evite ficar aborrecido. Na hora de decidir a programação, quem convida tanto pode sugerir o programa como pedir sugestões.
A família da noiva
Recorte do cartaz de A família da noiva (2005): conhecendo a família de quem se ama

- No momento de pagar a conta, o que diz a etiqueta?
C:
Segundo a etiqueta tradicional, quem convidou sempre deve pagar; mas, nos tempos modernos, pode-se perfeitamente dividir a conta, o que não infringe nenhuma regra de etiqueta.

- Celular e relacionamentos amoroso. Essa junção pode causar muitas dores de cabeça. O que sugerem as normas da boa educação nas seguintes situações:
Você ligou e a pessoa não atendeu, deve-se retornar insistentemente?
C:
Não! Tente apenas mais uma vez.

- A pessoa não quer ou não pode atender o celular, o certo é desligá-lo?
C:
Caso você não possa atendê-lo no momento, desligue-o e procure retornar quando possível.

- Se o celular estiver ligado e eu não posso atender, o que é mais educado: retornar mais tarde dizendo que não podia atender ou atender rapidamente e dizer "desculpe, me ligue mais tarde"?
C:
Dependendo do seu grau de intimidade com quem ligou e do assunto a ser tratado ambas as atitudes podem ser tomadas.

- O momento de conhecer a família ou amigos do companheiro. Há algum comportamento que seja de bom tom no momento de ser apresentado às pessoas queridas do parceiro?
C:
Quando formos apresentados às pessoas queridas do parceiro, não há necessidade de levar nenhum presente. Mas ao sermos convidados para um jantar ou almoço a ser realizado na casa dos mesmos, é de bom tom levarmos uma pequena lembrança, como: uma caixa de bombons, um vinho, um vaso de flores, fazendo o mesmo quando vamos visitar estas pessoas em outra cidade.

"Etiqueta também é encontrar um tempo para sermos educados, atenciosos e para doar um pouco de nós para as pessoas"
- Você marcou um compromisso com o parceiro e não pode ir, qual a antecedência para cancelar? O certo é explicar o motivo, como agir?
C:
Se o motivo do não comparecimento for imprevisto, pode-se avisar por telefone sem nenhuma antecedência. Caso contrário avise antes do horário combinado para que o parceiro tenha tempo de se desprogramar.

- Agora quem levou o "bolo" ou está quase levando. A pessoa está aguardando o companheiro chegar e ele não chega, o que fazer?
C:
Bolo é bolo, e quem levou não deve estar nada satisfeito, portanto, ficar esperando sem tempo determinado é impraticável. Ligue e procure saber o que aconteceu.

- E se você de fato levar o "bolo", deve esperar o outro se desculpar ou procurar uma satisfação naquele momento?
C:
Com sinceridade, ganhar bolo não é bom, mas muitas vezes há sim um motivo justo, portanto, espere pela explicação do outro.

- Sinceridade x etiqueta. Como ser educado e ao mesmo tempo sincero com o parceiro, dizendo, por exemplo, que a roupa não ficou bem nele?
C:
Ninguém gosta de ouvir críticas a seu respeito ou do que está vestindo. Fique na sua, apenas não elogie e se o parceiro perguntar, diga-lhe que outra roupa lhe cai melhor.

- Ex-parceiros também pode trazer problemas e saias-justas, por exemplo: ao encontrar um ex (acompanhando ou não) deve-se sempre cumprimentá-lo?
C:
Claro que sim, pois faz parte da boa educação.

- O ex deve ser convidado para o casamento do ex-parceiro?
C:
Nesta situação, não. Se acabou o namoro acabou o relacionamento. Procure evitar surpresas desagradáveis.

- Por causa do troca-troca de companheiros, tornado público por algumas celebridades, muitos se questionam se ao romper um romance é de bom tom, por respeito ao ex, esperar um tempo até circular com novo companheiro. O que a senhora acha?
C:
Não é preciso esperar nenhum tempo, cada um é dono de sua vida.

- Algumas pessoas culpam o tempo, a correria, o trabalho, o stress por não poderem ser tão atenciosas e educadas com quem amam. São desculpas aceitáveis?
C:
Não, mesmo apesar desta vida corrida, sempre podemos encontrar um tempo para sermos educados, atenciosos e para doar um pouco de nós para as pessoas, não só as que amamos, como as que precisam de nossa atenção.

- E como ter etiqueta, mas não tornar-se chato?
C:
Agindo naturalmente.

14 dos desabafos - DESABAFE!:

  1. Ru

    Entrevista hiper bacana!!!
    Sempre bom essas dicas, para revisarmos como estamos agindo e corrigir alguns errinhos...
    Adorei.
    Bjus

    ResponderExcluir
  2. Jaque,
    Fico feliz que tenha gostado, moça. É bom refletir nosso comportamento, não é? Beijos e obrigado!

    ResponderExcluir
  3. Rú...
    Muito interessante essa entrevista..mandou bem.
    Bom fim de semana!!Bjus.
    Sú...;D

    ResponderExcluir
  4. Ruim ta conversando kom alguem no msn e a pessoa sai sem nem ao menos dizer tchal, falta de educação!

    ResponderExcluir
  5. ,
    Obrigado! Bom fim de semana para você também! Beijos!

    --
    castrodigital.com.br,
    É muito ruim mesmo. Obrigado por sua visita e comentário. Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Adorei a entrevista, interessante mesmo. É bom isso porque algumas pessoas, algumas não, MUITAS pessoas hoje em dia não sabe nem o que é etiqueta...rs
    beijo ru.

    ResponderExcluir
  7. Pierce,
    Pois é, hoje em dia, algumas pessoas acham que hostilidade é sinônimo de inteligência, conheço bastante tipos assim. Beijos e obrigado!

    ResponderExcluir
  8. Obrigada pelas dicas do meu blog!!
    Agora tenho que pensar um algmas cores legais!!

    ResponderExcluir
  9. Ingridtje,
    Como? Não entendi não... (risos)

    ResponderExcluir
  10. É um assunto muito útil de se abordar, pois muitas vezes quem pratica uma destas boas maneiras acaba se passando por ridículo, e nós sempre nas dúvidas se estamos fazendo certo ou não em nossas atitudes.

    Outra coisa desagradável (faltou aqui, é uma das minhas inesquecíveis...rss), é quando você se vê com uma pessoa e ela te diz, assim, com toda a "delicadeza": "Nossa, como você engordou!" "Nossa, como você tá magro!" "Você tá velho!" Parentes e amigos adoram falar isso... Como IRRITA. Dependendo de quem é, ainda recebe a resposta mais delicada ainda, mas e quando não se tem esta proximidade, o que fazer??? rss

    Parabéns, muito legal a entrevista.
    Um abraço.
    Marcelo.

    ResponderExcluir
  11. Marcelo,
    É bom mesmo repensar. Acho que a Carminha Ker comentou o que você disse quando questionei o comentar a roupa, creio que seja semelhante: do mesmo modo que se a pessoa não lhe perguntou sobre a roupa, você não deve opinar para dizer que não gostou, caso a pessoa não te pergunte sobre o peso ou algo mais da aparência não se deve também comentar. Foi o que entendi.
    Abraço e obrigado!

    ResponderExcluir
  12. gostaria de saber o telefone da carminha ker meu email e ruancandr@hotmail.com

    ResponderExcluir
  13. Anônimo,
    Infelizmente a Carminha faleceu. :((

    ResponderExcluir
  14. gostaria muito do contato da carminha ker, vc tem e-mail ou telefone para uma consultoria com ela?
    andreia.

    ResponderExcluir

Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Fale com o blog

Envie o seu email para o blog.

Nome E-mail * Mensagem *