Pesquisar este blog

10 janeiro 2009

Marcadores: , ,

A paz mundial

Compartilhar
Algumas maneiras de fazer a sua parte*
Recorte do cartaz de Alguém tem que ceder (2003): é bom ceder!

" - Então você não ficará magoado?
- Claro que não. Somos namorados e não clones, podemos concordar em discordar"
(
Brothers & Sisters)

Eu sonho com um mundo colorido, onde todas as crenças e fés convivem em harmonia, as pessoas tem mais esperança, todas as raças se abraçam, os animais vivem soltos pela floresta, não há nenhuma discriminação contra gays ou héteros, Michael Jackson voltou a cantar e ser negro, Madonna voltou a ser puta e Shakira voltou a ser santa. O que eu quero? A paz mundial! É este o sonho coletivo da maioria das pessoas. Pelo menos é o que elas discursam.

Mas, o que você tem feito pela paz mundial? Quando os ânimos se exaltam o que você faz: briga, grita, esperneia, mas não sai da discussão sem provar que está certo? Ou você cala, silencia e deixa para discutir em outro momento? Será que você sonha com a paz mundial, mas não faz nada pela paz ao seu redor?

Eu era uma das milhares de pessoas que não saia de uma briga sem dar o último grito (e eu gritava MESMO!). Finalmente, mudei. Vi que não adianta gritar para impor minha razão. Quem é "surdo" não vai me ouvir, por mais que eu grite. Quem "apela" perde sempre a razão, mesmo estando certo. É preciso sim ser polido, ser político. Um dia, um professor ensinou "é melhor ser a parte que cede". Cedi, aprendi, alguém tem que ceder.

Aprendi o poder do silêncio. Quando alguém diz algo que me ofende, magoa, humilha, ou revolta, eu não brigo. Olho para o nada e fico em silêncio, não respondo as provocações. Os ânimos se abaixam e a outra pessoa percebe o papelão que está fazendo ao discutir sozinha, ou ao ouvir o que ela está propondo. Se for preciso, viro as costas e vou embora, sem dar uma palavra!

Por que eu faço isso? Simples, primeiro porque eu estava, quando mudei, cansado da fama de "bravo" e segundo pela paixão! Sim, a paixão! Aristóteles¹ já dizia há séculos atrás que a raiva é uma paixão, e as paixões são todos os sentimentos que alteram nossa capacidade de julgamento. Portanto, quando alguém está com raiva, você não conseguirá nada até que aquela pessoa entre no estado oposto de paixão: a calma. Por isso, é melhor silenciar, deixar a poeira baixar e depois acertar os ponteiros. É preciso saber parar! Ninguém sabe se uma pequena briga vai terminar em um copo de cerveja, na perda de uma grande amizade ou até em morte. Leia os jornais! Há pessoas morrendo por pranchas de cabelo usadas sem permissão do dono! Seja você a saber onde uma briga vai parar ao colocar um fim pacífico nela! Deixar uma discussão de lado não é perder, é poupar sua energia para algo mais valioso! Você vale muito, não se gaste com pouco, não desgaste o outro com pouco.

É assim que eu tenho feito. Quando estou com raiva eu fico calado, refletindo (ou vou lavar o banheiro, terapia comprovadamente funcional). Ainda não consegui a paz mundial, mas já consigo um pouco mais de paz no meu pequeno mundo. Garanto, que já é um bom começo... Em uma briga a última palavra pode sempre ser a sua e eu torço para que seja uma palavra de paz. E quando não souber o que falar, não fale, deixe um abraço encontrar o espaço das palavras.

"Não vou viver em uma guerra fria com quem eu amo"
(Law & Order: SVU)

*Sei que a paz mundial, não se refere às simples brigas entre casais, amigos, familiares e etc., mas tais brigas são também a falta de paz, nos relacionamentos humanos, grande foco deste blog.

¹ ARISTÓTELES; FONSECA, Isis Borges B. da. Retórica das paixões. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

16 dos desabafos - DESABAFE!:

  1. "Aprendi o poder do silêncio. Quando alguém diz algo que me ofende, magoa, humilha, ou revolta, eu não brigo. Olho para o nada e fico em silêncio, não respondo as provocações. Os ânimos se abaixam e a outra pessoa percebe o papelão que está fazendo ao discutir sozinha, ou ao ouvir o que ela está propondo. Se for preciso, viro as costas e vou embora, sem dar uma palavra!"

    Uau, com certeza! É sempre isso o que penso: deixe a pessoa falar, daqui a pouco ela se toca e vê que quem tá sendo idiota é ela. Prefiro mesmo me poupar porque, do contrário, quando estou com raiva numa situação assim eu fico muuuito ansiosa e então me dá vontade de chorar ^^ Ou fico com as mãos dormentes, querendo passar por cima de tudo que o outro tá falando.

    ResponderExcluir
  2. manu, cara de anú,
    Eu passei da fase chorar para a fase brigar e agora estou na fase não é o fim do mundo vou ficar calado. Vamos tentar pelo menos, né? (risos) Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Ru,

    lembrei muito da visão da Alanis Morissette sobre a vida, a relaão micro-macro, a paz consigo mesmo e consequente a paz em relação ao mundo.

    Sobre a alanis ela já disse que "a raiva é uma extensão covarde da tristeza. É mais fácil sentir raiva de alguém do que admitir que está triste"

    Sobre a relação micro-macro dita por Alanis, que eu também acredito que diz respeito ao modo como levamos nossa vida se reflete com e no mundo exterior. Vale a pena dar uma olhada na letra e clipe de sua música "Underneath":

    http://www.youtube.com/watch?v=nkbh-s1nA4g


    abraços!
    Valmique

    ResponderExcluir
  4. Raiva: um estado pronto, instantâneo, porém, de alto impacto e a longo prazo (geralmente).
    Às vezes ela contribui para o amadurecimento, às vezes colabora para os abrorrecimentos (o mais frequente).

    É como bebida alcoólica, deve ser apreciada com moderação - não precisa faltar, mas também não necessita abusar.

    Muito bom o texto.

    Marcelo.

    ResponderExcluir
  5. Valmique,
    Não conheço muito o trabalho da Alanis, mas vou sim ler o texto!

    --
    Marcelo,
    Isso aí não vamos abusar, pois temos coisas melhores para fazer, né? Abraço e obrigado.

    ResponderExcluir
  6. "É assim que eu tenho feito. Quando estou com raiva eu fico calado, refletindo"

    é assim que eu fico, até porque com poucos anos de vida que ainda tenho, uma coisa que aprendi é que quem grita nunca esta com a razão.

    ResponderExcluir
  7. Pierce,
    Isso aí, vamos preservar nossa voz e falar apenas com quem merece ouvir!

    ResponderExcluir
  8. ola admiro muito tudo que escreve vc é realmente uma alma aberta....pronto para amparar......estou conhecendo seu blog a pouko, mas tenho certeza que me fará enxerga e resolver mtos conflitos.... muito obrigadapor aparecer em minha vida..... de kátia de oliveira

    ResponderExcluir
  9. gostei muito deste blog. Vamos fzer uma rede pela paz?

    ResponderExcluir
  10. Gilmar Goulart Pinto,
    Obrigado! Vamos sim! Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Sthevan,
    Testou todos os emoticons? :X (risos)

    ResponderExcluir
  12. E LEGAU MAS ASPESOUS SÃO MAIS NÃO SE OLHÃO SIMPLESMENTI SE EMGINORÃO OU SE MATÃO
    PREDI A PESOUA MAS IMPORTANTI DA MINHA VIDA E MESMO ASIM NÃO TENHO TANTA RAIVA
    APOIS UM TEMPO APRANDI A ME COMTROLA MAS NÃO ESTOU 100% MEU NOME E KAYK DA CATALÃO
    PERDI MINHA MAIN A 8 MESIS
    E A SUA RAIVA NAM SE COMPARA COM A MINHA

    ResponderExcluir
  13. A raiva é algo muito difícil de controlar, principalmente quando nós mesmos não estamos em paz. O controle é um exercício diário e contínuo, onde o auto-conhecimento é essencial.
    Gostei muito desse blog!!!

    ResponderExcluir
  14. olha essa vida esta mtt dificil...
    Geente precisamoos de PAAZ

    ResponderExcluir

Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Fale com o blog

Envie o seu email para o blog.

Nome E-mail * Mensagem *