Pesquisar este blog

11 outubro 2008

Marcadores: ,

Quero ser pequeno

Compartilhar
Porque um dia o mundo cresce


Recorte do cartaz de Monstros S.A. (2001): "gatinho?"

Eu descobri que não era mais criança no dia em que meu pai veio me visitar e eu estava triste. Pedi a ele: "Pai, posso sentar no seu colo?" e já fui sentando. Nunca esqueci o olhar dele. Parecia ter visto a pior aberração do mundo, a mais assustadora de todas as criaturas, ali, ao vivo, à frente dele e sentado em seu colo. Minha mãe disse "ele está carente". Acho que nada machuca mais do que alguém ter que explicar a quem você pede carinho que você precisa de atenção. Não culpo meu pai. Ele nunca teve um. E com a idade que eu tinha acho que ele esperava que o filho triste o convidasse para tomar uma cerveja no bar da esquina e não pedisse um cafuné sentado em seu colo.

Corri para o meu quarto e peguei meu urso azul de pelúcia. A pelúcia não era azul, mas ele era. Sempre gostei de azul. Eu olhei para o meu urso e ele não me reconheceu. Ele pertencia à criança que todas as noites o desejava "boa noite" e ficava torcendo para ele ganhar vida enquanto fingia que dormia. Ele era daquela criança, não meu. Foi então que eu percebi que havia uma lacuna, entre quem eu achava que era e quem eu havia me tornado. Brigadeiro não podia mais ser meu prato favorito, e nem "Vou de táxi" a canção da minha vida e eu teria que achar uma atriz melhor do que a Priscila da TV Colosso.

Tive que crescer sem ninguém perguntar se eu queria e muito menos me ensinar como seria. Nunca, nada me doeu tanto quanto crescer. Trocaram minhas figurinhas de chicletes por contas a pagar, meu celular de borracha que tocava músicas foi substituído por vozes que me lembram dos meus compromissos, meu relógio de plástico que sequer marcava as horas me mostra a todo momento que o tempo passou. Não posso mais nem ir aonde eu quero. Antes, me bastava um barquinho de papel, o tanque cheio d'água e alguns minutos de silêncio para eu dar a volta ao mundo. Hoje, me cobram R$2,10 para ir de um bairro ao outro.

A verdade é que eu nunca quis crescer e com isso aprendi a brincar de viver. E eu brinco tanto que nunca canso. Estou sempre com um sorriso no rosto, pronto para o que der e vier. É que eu guardei dentro de mim a criança, e dou vida a ela sempre que preciso. Quando está tudo ruim eu fecho os olhos, fico em silêncio, me escondo na minha mente, coloro meu dever de casa e imagino que tudo vai ficar bem. Pego meus lápis de cor e coloro o mundo, levo alegria a quem chora e arranco risada de quem queria chorar. Infantil? Não! Só a maturidade lhe permite ser menor do que você é. E não há jeito melhor de crescer.

Ontem, eu olhei no espelho e vi a barba em meu rosto. Lembrei da primeira vez em que eu fiz a barba, aos sete anos e minha mãe me disse: "Você não tem barba, menino". Ontem, eu corri na sala sorrindo ao chorar e gritei: "Mãe, mãe. Eu tenho barba". Ela não entendeu. Mas eu vi, os cabelos brancos que hoje estão na cabeça dela, os cabelos que não mais estão na cabeça do meu pai e descobri que agora não posso mais correr para a cama deles quando eu tiver com medo. Vou ter que guardar um espaço na minha cama para quando eles tiverem medo.

Estava terminando este texto, quando minha mãe me gritou: "Menino, você vai se atrasar para o trabalho" e me entregou a marmita. Antes era a merendeira e eu ia para a escola... Pensando bem, não é a gente que cresce. É o mundo que muda de tamanho e esquece de nos avisar.

26 dos desabafos - DESABAFE!:

  1. Rú,,,,fala sério...esse eu vou ter q compartilhar com meia dúzia de amigos..aqueles que estão tendo que crescer pq estão a beira de um diploma..a beira de encarar o mundo q cresceu...teu texto será o presente de dia das crianças pra ele..PERFEITO como sempre

    bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, mocinha! E Feliz Dia das Crianças para nós! Beijo!

      Excluir
  2. Bah, eu também não quero crescer... posso me formar, trabalhar, pagar contas, mas não vou ser grande. Acho que por isso ainda guardo alguns brinquedos, o supernintendo, lembranças numa caixa. Pra não esquecer de ser criança ^^.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que a gente nunca se esqueça de ser criança! :) Beijo!

      Excluir
  3. Primeira vez que te leio, cheguei aqui através do Barco Furado... Vou ler seu blog inteiro, o relato do casamento da sua amiga foi lindo, me vi no casamento de um dos meus melhores amigos, há 2 semanas atrás. Senti as mesmas emoçoes e tudo o mais. Voltarei mais vezes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, fico feliz demais por ter gostado! :) Beijo!

      Excluir
  4. Eu também não quero crescer!!!
    As vezes acho que não cresci e nem vou crescer mesmo morando sozinho e tendo toda a responsabilidade de um adulto nas costas, por que o que eu mais gosto de fazer é tomar banho de chuva, comer besteiras todos os dias, ver Programa da Xuxa, Carrossel, A Turma do Balão Mágico e Trem da Aleria no YouTube. Ainda quando vou dormir, pego o meu tigre e ponho a cabeça dele no meu travesseiro e digo para ele ficar de olho na escuridão. Coisas que meus sobrinhos gostam de fazer e que eu não vou deixar também...
    Acho que o "mundo" cresce muito rápido e realmente nos esquece quando e como temos que crescer...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mim crescer ainda é um dos maiores desafios da vida! Não é fácil! Mas a gente vai dando conta como pode! :)

      Excluir
  5. Cheguei no seu blog, via REC6. Gostei do que vi, em especial desta crônica. Abs

    ResponderExcluir
  6. Oie Ru,
    O e-mail q te mandei expressa o meu desabafo!
    Texto perfect! Parabéns.../o/
    Bjins

    ResponderExcluir
  7. Perfeito, como o pé do poema. Teve é claro um acompanhamento musical especial aqui, mais lindo, lindo, lindo adorei o texto sr.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, mocinha, fico feliz por ter gostado! :)

      Excluir
  8. Esse teu texto é bem legal! Eu me encontro nessa fase de transição e digo aos meus amigos que infelizmente tenho que crescer na marra! Comigo ainda está sendo um pouco diferente pq ainda não pago minhas contas...rsrs... ainda não, mas estou doida pra pagar! Não que eu queira acelerar o crescimento, mas pq junto com o crescimento vêm as responsabilidades que nem todos ao meu redor acompanham, e isso me faz sofrer, me deixa doente (emocional e fisicamente). Acho que o maior problema de crescer é ter que me relacionar com os que já são adultos. Ô mente limitada cara!! O que me chateia é que para eles somos crianças. E qnd um amigo próximo, adulto, está com problemas? Problema que qnd criança, nunca imaginei que houvesse; claro, já havia ouvido falar, mas pra mim eram possibilidades de acontecimentos muito distante, quando vejo perto, e com a incapacidade de resolução da minha parte, fico tristíssima! Fora que, qnd crianças, bastava uma desculpa para que o nosso coleguinha/amiguinho nos perdoasse, e retornasse à brincadeira. Agora, nem pensar! As brigas não são mais tapinhas, empurrões... essas coisas! Agora elas são seríssimas, e às vezes não temos noção da repercurssão das mesmas, tomam dimensões assustadoras; e a localidade atingida, não é mais o físico... é o emocional, onde somos capazes de causar sérios danos e às vezes irreversível... e a amizade? Essa não se reconstrói!

    Beijão RU!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que vai tudo ficando mais e mais sério sem que a gente dê conta de lidar com tudo, né? Mas crescer também tem os seus lados positivos e a criança que fomos sempre estará viva dentro de nós! Beijo!

      Excluir
  9. Ai, Ru! Lindo demais seu texto, como sempre. E eu confesso que essa correria tem feito eu me esquecer de como é ser criança. Mas pelo menos as boas gargalhadas eu procuro sempre manter, pra não me esquecer de como é bom rir a toa e despreocupadamente, como quando eu era criança.
    beijão!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A correria nos deixa meio atordoados mesmo, mas que a gente consiga manter, de alguma forma, a leveza de sermos crianças. :) Beijo!

      Excluir
  10. eu :D li :( a cronica :p e gostei :o muito

    ResponderExcluir
  11. cara, lindo quase chorei, me identifiquei muito, ta de parabens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, fico feliz por ter se emocionado! :) Abração!

      Excluir
  12. Suas palavras são certeiras e sempre vão fundo na emoção! Parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Léia! Bondosa você! Beijão e feliz Dia das crianças para nós! :) :D

      Excluir

Obrigado, pela visita. Aproveite e DESABAFE você também!

"deixa, deixa, deixa eu dizer o que penso dessa vida, preciso demais desabafar"
(Ronaldo Monteiro/ Ivan Lins)

As opiniões e vontades expressas nos comentários não representam a opinião do autor deste blog.

Assine nosso feed!


Comentários não relacionados aos posts e/ou só para deixar links serão excluídos e o comentarista denunciado ao Blogger como spammer.

Fale com o blog

Envie o seu email para o blog.

Nome E-mail * Mensagem *